Vivo compensa emissões de gases poluentes de sua frota de veículos

Operadora também tem adotado o uso compartilhado de carros, além de biocombustíveis e carros elétricos.

Desde setembro, a Vivo passou a ser carbono neutro, mais um passo no projeto da empresa de reduzir o impacto ambiental de suas operações. Pautada na inovação sustentável, a Vivo tem desenvolvido projetos para reduzir as emissões de CO2 na atmosfera.

Entre as medidas adotadas está a compra de créditos de carbono para compensar a emissão de gases poluentes dos seus 5,6 mil veículos. Além disso, 60% da frota utiliza etanol, bem como tem sido incentivado que os carros sejam utilizados de forma compartilhada entre os diferentes setores da empresa. Como a medida, até dezembro, serão 30 carros a menos na frota da empresa.


A Vivo também iniciou o uso de carros elétricos para minimizar ainda mais as emissões e o impacto ambiental. Os três veículos em teste têm autonomia de 300 quilômetros e devem ser utilizados inicialmente na grande São Paulo. Em parceria com a AES Tietê, os carros são recarregados em eletropostos.

VIU ISSO?
–> Vivo inaugura sua primeira loja sustentável
–> Vivo busca reduzir em 70% sua produção de papel até 2021
–> Vivo recicla 2,7 mi de itens eletrônicos em programas com clientes

Estima-se que apenas com os três veículos, a operadora deixe de emitir quatro toneladas de CO2 por ano. A ideia é expandir o projeto-piloto para outras unidades da operadora a partir de 2020.

“Estamos atentos a todas as oportunidades que tornem nossa operação mais sustentável, reduzindo e compensando o nosso impacto no meio ambiente e que gerem eficiência e redução de custos” explica Caio Guimarães, diretor de patrimônio da empresa.

Desde outubro de 2018, 100% do consumo energético da operadora é proveniente de fontes renováveis. Recentemente, a empresa inaugurou a sua primeira loja sustentável, em São Paulo.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de