Nextel pode encerrar operações se não for vendida para a Claro

Aquisição da Claro precisa ser aprovada pelo Cade. Operadora foi vendida por US$ 905 milhões.

Ilustração emoji triste
Imagem: Pixabay

Saiu o novo balanço financeiro da NII Holdings, dona da Nextel Brasil, e as notícias não são boas para a operadora. O prejuízo líquido é de US$ 12,15 milhões. Isso significa que se a venda para a Claro não for aprovada, a empresa estará incapacitada de continuar operações. A compra ainda precisa ser aprovada pelo Cade.

A operadora fechou o trimestre com 3,5 milhões de usuários, um crescimento anual de 12,2%. O ARPU da Nextel é de R$ 53, que no comparativo com o ano anterior representa uma redução de R$ 2.

Mesmo com o saldo final negativo, ainda é um valor superior ao da concorrência. A empresa da NII Holdings é focada nos clientes pós-pagos. O segmento pré (Nextel Happy), inclusive, é tratado em um site diferente.

Entretanto, o prejuízo final fez com que a Nextel precisasse de novos aportes dos acionistas. A soma foi de US$ 18 milhões e a receita operacional ficou em US$ 144,8 milhões. Investimento na rede (Capex) foram orçados em US$ 13 milhões.

VIU ISSO?
Compra da Nextel pela Claro é aprovada pela Anatel
Nextel e Oi atuam de forma agressiva e irracional, segundo a TIM
Nextel aumenta tamanho da internet a cada 6 meses sem subir o preço

A esperança dos executivos da Nextel é que a venda para a Claro seja aprovada e concluída até o final de 2019. Pois só há fundos para bancar operações até o primeiro trimestre de 2020.

Se passar disso, a Nextel vai precisar de um novo plano de negócios ou redução de custos, caso contrário, correrá o risco de ir à falência.

A operadora foi vendida por US$ 905 milhões para a Claro. Entretanto, a transação ainda precisa da aprovação do Cade. Com a aquisição, a empresa da América Móvil pretende fortalecer sua atuação no Rio de Janeiro e em São Paulo.

As operações da Nextel são concentradas em Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal. Em outros estados atende por meio de um acordo de roaming com a Vivo, que se expandiu para ter acesso ao 4G.

Com informações do Tele.Síntese e Tecnoblog.

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
5 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários