Lei pode proibir venda por telefone fora de horário comercial

STF julga constitucional lei estadual que impede que empresas e estabelecimentos comerciais realizem cobranças e vendas fora de hora.

Foto: STF

Na sessão desta quarta-feira, 21, o Supremo Tribunal Federal declarou como constitucional uma lei do Amazonas que proibia empresas de cobrarem e venderem seus produtos e serviços via telefone, fora do horário comercial e em feriados e fins de semana.

Em março de 2019, a Associação das Operadoras de Celulares (Acel) e a Associação Brasileira de Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix) foram ao Supremo questionar leis estaduais que criavam novas obrigações para prestadores de serviços de telefonia e internet.


Além da Lei estadual 4.644/2018, do Amazonas, — que proíbe as chamadas fora de horário comercial — outras quatro ações foram apontadas pelas associações como inconstitucionais, com o argumento de que apenas a União poderia legislar sobre o setor de telecomunicações.

Seguindo o parecer da Procuradoria-Geral da República, o ministro Marco Aurélio afastou os argumentos apresentados na petição inicial e votou pela improcedência da ação.

O argumento é de que o estado do Amazonas promoveu uma medida que protege os direitos dos seus cidadãos, sem interferir nas atividades de prestação de serviços de telecomunicações. A decisão foi unânime.

VIU ISSO?
–> STF analisará cobrança de ICMS em celulares cedidos a clientes por operadoras
–> Teles ficam contra lei que obriga acúmulo da franquia de dados
–> Bloqueador de sinal na cadeia: STF decide a favor das operadoras

Entre as leis estaduais que ainda estão sob a análise do STF estão:

Lei 16.559/2019, de Pernambuco, que trata da devolução de valores cobrados indevidamente, do tempo de espera nos atendimentos e de obrigações das empresas postarem boletos com mais antecedência. A lei também determina que as operadoras concedam aos clientes antigos os mesmos benefícios oferecidos aos novos em ofertas promocionais.

Lei 16.734/2018, do Ceará, que proíbe as operadoras de bloquearem o acesso à internet após acabar franquia de dados.

Lei 8.169/2018, do Rio de Janeiro, que obriga as empresas a disponibilizarem declaração de quitação anual de débitos na internet e por meio da central de atendimento ao consumidor, em um prazo de 48 horas.

Lei 4.658/2018, do Amazonas, que obriga as empresas a inserirem nas faturas uma mensagem de incentivo à doação de sangue.

As associações sustentam que a União já exerceu sua competência ao publicar a Lei Federal 9.472/1997, que cria normas para os serviços de telecomunicações, o que não abre espaço para a atuação legislativa dos estados.

No UOL Play você encontra filmes, séries, desenhos, shows e esportes ao vivo. Além disso, alugue os títulos que acabaram de sair do cinema. Clique e experimente por 7 dias grátis!

COMPARTILHAR EM:

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais votado
mais novo mais antigo
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Rodrigo

Isso já deveria ser lei faz tempo por questão de ética, que piada essa demora pra decidir.

Cidade - UF
SP
Rogério Pires

Não existe nada mais invasivo e irritante que receber ligações seja no fixo e/ou celular de funcionários de callcenter’s vendendo produtos e/ou serviços. Geralmente as ligações são de péssima qualidade e em horários impróprios.

Cidade - UF
Uberlândia - MG