iPhone deve ter 5G mais veloz do que Androids, mas só em 2020

Para entrar na briga pela conectividade de quinta geração, companhia da maçã adquiriu a divisão 5G da Intel por US$ 1 bilhão.

Rumor sobre o design do iPhone XI. Divulgação
Imagem: Rumor sobre o design do iPhone XI. Divulgação

Mesmo com todo o seu valor de mercado, a Apple ainda pode morar para disponibilizar smartphones com a tecnologia 5G. Enquanto as concorrentes Samsung, Xiaomi, Huawei, LG e outras já anunciaram aparelhos adaptados para a nova geração da conectividade, a companhia da maçã ainda não confirmou as previsões.

Em alguns meses, setembro, a marca deve anunciar a próxima geração dos iPhones, mas nada ainda do 5G. A Apple tinha um litígio com Qualcomm, além da indefinição da Intel no fornecimento de modems. Problemas que podem ter adiado a inclusão da tecnologia nos aparelhos da empresa.


Tudo parece ter sido resolvido por um acordo que a gigante da maçã fez com a Qualcomm, no qual desembolsou US$ 4,5 bilhões e a compra da divisão 5G da Intel por US$ 1 bilhão.

Entretanto, segundo a previsão do analista de mercado Ming-Chi Kuo, os iPhones com a conectividade de quinta geração devem surgir a partir de 2020. Ele adianta ainda que os aparelhos podem ter conexão mais veloz do que Androids com 5G e um preço mais competitivo.

VIU ISSO?
– 5G no Brasil também irá operar em ondas milimétricas (mmWave)
– Apple TV+ é a nova aposta de streaming para rivalizar com a Netflix
– Vivo inicia as vendas da Apple TV 4K

Na visão do analista, os preços devem cair para US$ 249 (R$ 940) e US$ 349 (R$ 1.320) no próximo ano. Entretanto, sabemos que, se tratando de Apple e tributações, esse não será o valor final na conta do consumidor que escolher por um iPhone.

O 5G será visto como necessário nos próximos anos e a Apple terá que suportar a tecnologia para ganhar mais subsídios das operadoras móveis, além da preferência dos clientes.

ECONOMIZE! 💰 Compare os planos das operadoras de celular e escolha o mais vantajoso para você.

A conectividade tem dois tipos de rede, enquanto uma utiliza ondas mmWave e se mantém como a mais apropriada para áreas urbanas, a outra explora as bandas 6 GHz e se adequa melhor às áreas rurais e suburbanas, com conexão mais lenta, mas mesmo assim superior ao 4G.

Kuo adianta que a Apple trabalha com essas duas frentes de 5G. A que suporta apenas o 6 GHz deve ter um custo menor. Já os smartphones que englobarem as duas, certamente serão mais caros.

Mas a primeira leva de iPhones 5G deve vir apenas com modems Qualcomm. Os aparelhos fabricados após a aquisição da Intel só devem ser lançados em 2021.

Com informações do Tecnoblog

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários