Claro, Vivo, TIM e Oi se unem para manter sinal em Brumadinho

Manutenção do sinal auxilia a interconexão entre os profissionais envolvidos nas buscas de vítimas da tragédia.



Às buscas pelas vítimas da tragédia em Brumadinho continua e é evidente que manter a infraestrutura de rede, para garantir a comunicação dos profissionais envolvidos nesse processo doloroso é crucial. As quatro maiores operadoras do Brasil – Claro, Vivo, TIM e Oi – firmaram um acordo de roaming para garantir conexão 4G na região.


Graças ao acordo a comunicação para qualquer aparelho é válida em qualquer torre.


Equipes das operadoras já foram deslocadas para a região de Brumadinho e já estão trabalhando na implementação, através do reforço da cobertura na região, com o aumento da capacidade das antenas instaladas, envio de antenas móveis e geradores movidos a combustível, garantindo o funcionamento das antenas nos locais onde a energia foi cortada.

VIU ISSO?


Recentemente as operadoras também garantiram a quebra de sigilo telefônico das antenas de celular localizadas em um raio de 20 quilômetros de onde rompeu a barragem da mineradora Vale, em Brumadinho, MG. Com os dados fornecidos pelas empresas de telecomunicações, “as equipes de socorro podem saber quais aparelhos se mantiveram ativos após a tragédia, e quais estão inativos desde então”.



About William Plaza
Levamos informação de qualidade sobre o setor de telefonia fixa, móvel, internet banda larga e televisão por assinatura para os milhões de brasileiros que a cada dia estão se conectando cada vez mais.

8 Comentários

  1. Eu escutei na CBN que este raio de 20 km baixou pra 10km, segundo a reportagem 20 km estava abrangendo parte de BH,mas acho isso ótimo toda ajuda é boa

  2. É verdade, funciona em modo roaming. Sou daqui da cidade.

  3. Nos mineiro estamo de luto.

  4. A nextelnão fazer parte?

  5. Muito boa essa notícia.

  6. Maravilha….sem comentário

  7. Que bom, unidas por uma boa causa.
    Cada um ajuda como pode. Parabens às operadoras envolvidas na iniciatica.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*