Vivo, Raízen e Ericsson buscam startups para projetos no campo

Empresas querem realizar uma transformação digital no agronegócio.


As empresas Vivo, Raízen e Ericsson estão chamando startups para participarem do Agro IoT Lab 2018 – programa de desenvolvimento de aplicações para o campo com foco em Internet das Coisas (IoT).

O processo seletivo está aberto para todas as startups que tiverem interesse em desenvolver e acelerar projetos para o agronegócio.


Os projetos devem ter foco em soluções e produtos tecnológicos como IoT, energia, hardware, Inteligência Artificial, Machine Learnig, SaaS, Big Data, Cloud Computing, E2E (end to end), entre outros.

Para participar, a empresa precisa se inscrever no portal www.pulsehub.com.br até o dia 14 de outubro. 

Os projetos serão avaliados em duas etapas por uma equipe de especialistas formada por integrantes da Wayra – braço de empreendedorismo e inovação aberta da Vivo – e da Pulse – hub de inovação da Raízen. 

Os dez selecionados terão acesso ao espaço compartilhado do Pulse, localizado em Piracicaba (SP), e a toda a sua infraestrutura de mentoria e workshops e treinamentos aplicados ao agronegócio.

As empresas serão acompanhadas pela Wayra e, caso faça sentido para os dois lados, poderão receber investimento no futuro

A EsalqTec auxiliará os selecionados na facilitação acadêmica das tecnologias.


LEIA TAMBÉM:



Iniciativa


Cada empresa parceria tem uma função nessa iniciativa para acelerar a transformação digital no agronegócio.

A Vivo levará a sua rede móvel 4G para o campo, utilizando a frequência de 450Mhz. 

A Ericsson fornecerá apoio às empresas por meio do uso de plataformas de software para IoT

Já a Raízen irá levar a expertise e infraestrutura agrícola e o acesso aos canaviais.

“Essa união tem como objetivo desenvolver as tecnologias que colocarão o agronegócio no mundo da Internet das Coisas, apoiando-se no ecossistema de inovação aberta, com startups de base tecnológica focadas em resolver as necessidades do campo”, explica a diretora de Inovação e Produtos B2B da Vivo, Debora Ignácio Bortolasi. 

Dados preliminares do Censo Agro 2017 realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que o acesso à internet no campo disparou 1.790% em 11 anos.

O acesso passou de 75 mil, em 2006, para 1,4 milhão, em 2017. Desses, 659 mil (46,2%) acessos são realizados por meio de banda larga e 909 mil (63,77%), via internet móvel.

COMPARTILHAR EM:

COMENTÁRIOS MAIS BEM AVALIADOS DO MÊS

55

Banco Inter vai distribuir gratuitamente 7 mil chips da Intercel

é um chip degustação, esperava o que? rs
  • 01/07/2020 by Luiz Carvalho

48

Banco Inter vai distribuir gratuitamente 7 mil chips da Intercel

dados atualmente não são problemas para as grandes operadoras, e mesmo assim, mta gente não se sente satisfeito, pois a escolha depende de outros fatores tbm. Ex: Oi oferece pacotes gigantescos de dados e sinal ruim…outras não se sentem bem atendidos, ou enfrentam problemas diversos…esses dias o vivo easy prime deu um BO impedindo que fosse realizado chamadas, Claro Flex tem um plano maravilhoso e um aplicativo péssimo…todas tem prós e contras, e cada consumidor tem uma medida do que é mais importante pra si mesmo.
  • 01/07/2020 by Luiz Carvalho

42

Consumidor presta queixa contra comercial de Vivo Fibra

Meu deus do céu. Esse povo tá chato demais. Essa geração mi-mi-mi tá um saco.
  • 20/06/2020 by Tauan Fontoura

36

‘TIM Beta’ e ‘TIM Pré’ vão perder alguns benefícios

A Tim só tem um pouco mais de vantagem no pré pago, devido ter Facebook Twitter e Messenger e whatsapp, agora se começar a regular uso, com certeza a Claro vai ser o melhor plano. Tenho e não troco por nenhuma.
  • 02/07/2020 by Roberto Ramos

36

‘TIM Beta’ e ‘TIM Pré’ vão perder alguns benefícios

O TIM Black e os planos controle também sofreram essas medidas. Isso vai fazer a Claro roubar os clientes da TIM.
  • 02/07/2020 by Jefferson Rodrigues

COMENTÁRIOS RECENTES DE TODO O SITE

Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Anonimo

Ainda há trocentas fazendas, milhares de sítios e chácaras sem acesso à internet…
Sem rede, sem desenvolvimento.