terça-feira, 4 de setembro de 2018

Anatel pede opiniões sobre uso das faixas de 2,3GHz e 3,5GHz

O que você achou? 
Comitê de Espectro da agência está com consulta pública aberta por 60 dias para receber contribuições da sociedade sobre faixas de entrada do 5G.

Agora foi o Comitê de Uso do Espectro e de Órbita (CEO) da Anatel que abriu uma consulta pública para receber comentários da sociedade sobre duas faixas: a de 2,3 GHz e 3,5 GHz. A participação poderá acontecer durante 60 dias.

De acordo com o comitê, a faixa de 2,3 GHz tem destaque de harmonização mundial para o IMT, e a de 3,5 GHz é tida por muitos como a ponta de entrada para as redes de altíssima velocidade do 5G na telefonia móvel.


O público, em geral, poderá entrar no link do CEO e responder um questionário de 13 perguntas, todas relacionadas ao uso dessas faixas para a exploração dos serviços de telecomunicações.

Para quem tem interesse em conhecer mais os benefícios e possíveis usos das faixas em questão, a chamada “Tomada de Subsídios” disponibilizou dois documentos que explicam as tecnologias. 

LEIA TAMBÉM:

O “Estudo das faixas de 2,3 GHz e 3,5GHz” explica as questões mais técnicas, mercadológicas e de concorrência que são associadas à exploração dessas faixas, além das condições de uso e convivência com serviços que já ocupam espaço no espectro radioelétrico. Na faixa de 3,5 GHz, por exemplo, é preciso garantir que a ocupação não prejudicará o funcionamento dos receptores de sinais de TV.

O “Caderno de Testes de Convivência entre o IMT-2020 (Banda 42 do 3GPP) e Sistemas Satelitais operando em Banda C” é o segundo documento disponível, que apresenta o conjunto de ensaios e testes de campo feitos para avaliar “a possibilidade de coexistência livre de interferências prejudiciais entre os dois sistemas que operam em faixas vizinhas”, conforme explicou o comitê.

A ideia é que, com a consulta pública disponibilizada à sociedade, os brasileiros possam discutir sobre a licitação que está próxima e que possivelmente será muito importante para o país, principalmente na massificação do acesso de telecomunicações.

Para contribuir, o acesso deve ser na CP nº 29/2018, presente no Sistema de Acompanhamento de Consulta Pública, no site da Anatel.


Nenhum comentário:

Postar um comentário