sexta-feira, 20 de julho de 2018

TIM se supera e lucra R$ 355 milhões no segundo trimestre do ano

O que você achou? 
Antes do 'arrivederci', Stefano De Angelis apresenta resultado 53,2% superior em 2018.

O empresário Stefano De Angelis está saindo da TIM, mas antes apresentou os resultados superiores da companhia no 2º trimestre do ano. De acordo com o balanço financeiro divulgado na noite desta quinta-feira (19), o lucro líquido de abril a junho foi de R$ 335 milhões, um aumento de 53,2% no ano. O número também foi maior do que os R$ 250 milhões registrados no 1º trimestre.

A receita líquida da TIM fechou em R$ 4,17 bilhões, um crescimento de 5,8% no ano, que foi influenciado tanto por serviços móveis, quanto fixos e produtos. As receitas de serviços e de móvel, por exemplo, cresceram 5,7%. Serviços fixos aumentaram 5,6% e, depois de 12 trimestres de queda, até mesmo a receita de produto avançou 7,5%.




Durante os seis primeiros meses de 2018, a receita líquida da TIM atingiu R$ 8,3 bilhões, um aumento de 5,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

O ARPU (Receita Média Mensal por Usuário) do móvel no trimestre avançou 13% no ano, atingindo agora R$ 21,9, um resultado influenciado pelas migrações para planos de maior valor, como controle ou pós-pago. O ARPU da TIM Live, através de ofertas com maiores velocidades e valores apresentadas em abril, aumentou 12,7%, chegando a R$ 72,1. 

O EBITDA (lucro antes de juros, impostos e amortizações) aumentou 12,7% e totalizou R$ 1,56 bilhão.

O único resultado negativo da TIM foi o financeiro líquido de R$ 181 milhões, que ficou R$ 54 milhões pior em comparação ao segundo trimestre de 2017. Ele teria sido impactado pelo efeito de ajustes contábeis e pela capitalização dos juros que foram gerados para que a TIM conseguisse a licença 700MHz.

LEIA TAMBÉM:

E quanto aos investimentos, o Capex totalizou R$ 1 bilhão no segundo trimestre, valor 25,8% superior em relação ao ano passado. Pelo menos 85% dos investimentos foram destinados à infraestrutura, principalmente a projetos de rede de transporte, 4G e TI.

Clientes e tecnologias


A base de clientes da TIM continua aumentando significantemente no pós-pago, que hoje representa 33,7% da base total – o crescimento no trimestre foi de 20,5%. O número de clientes pós já é maior do que aqueles que são pré – 32,7% da base total.

A TIM fechou o mês de junho com 56,6 milhões de linhas ativas no móvel (19,1 milhões no pós e 37,5 milhões no pré).

Na TIM Live, que cresceu 21,5% no ano, há 423 mil clientes. Até agosto, a TIM vai expandir suas operações para cinco novas cidades: Salvador (BA), Suzano (SP), Mauá (SP), São Gonçalo e Nilópolis (RJ) com tecnologia FTTH.

Quanto às outras tecnologias, há 31,3 milhões de clientes TIM com 4G e 14,9 milhões apenas com 3G. No fim do trimestre, o registro foi de 1.131 cidades beneficiadas pelo 4G na faixa de 700MHz, sendo 24 capitais; além de 1.559 cidades com a tecnologia VoLTE (as ligações pelo 4G) e 581 biosites em novo modelo já ativos.

Durante a apresentação dos resultados, que acabou de acontecer nesta sexta-feira (20), Stefano De Angelis agradeceu pelo ano positivo que teve na TIM, e, italiano como é, se despediu com um "arrivederci" (adeus em italiano). A partir de agora, assume o novo CEO, Sami Foguel.


Nenhum comentário:

Postar um comentário