Receita da Claro cresce e vai para R$ 8,8 bilhões no 2º trimestre

Apoiada pela base móvel, operadora diz que lidera o índice de portabilidade numérica no Brasil e que sua base pós-paga cresceu 17% no último ano.




As marcas brasileiras da América Móvil, Claro, NET e Embratel, faturaram um total de R$ 8,93 bilhões no 2º trimestre de 2018, de acordo com o balanço que acaba de ser divulgado pelo grupo. O número na receita foi 0,9% maior no ano e 0,8% no trimestre.


O EBITDA (lucro antes de impostos, depreciações e amortizações) também foi superior em 1,6%, chegando a R$ 2,97 bilhões. A margem EBITDA em relação aos serviços aumentou em 0,3 pontos percentuais, atingindo 33,3% nesse segundo trimestre de 2018.












No resumo do balanço, a operadora preferiu destacar os resultados comparados apenas ao 1º trimestre do ano – ou seja, descartando o comparativo anual.





Dessa forma, a receita de serviços móveis cresceu 1,1% e a de serviços fixos aumentou 0,3%. Os números foram maiores nas receitas do pós-pago, que aumentou 3%, e de banda larga, que cresceu 4,5%.


Por outro lado, longa distância, telefonia fixa local e TV por assinatura via satélite (DTH) tiveram redução de 6,6%, 6,3% e 3,6%, respectivamente. Foram os principais impactos negativos na receita.

LEIA TAMBÉM:
PRÉ x PÓS
Como Claro, a operadora de celular, os números têm sido positivos principalmente no segmento móvel pós-pago, que oferece mais rentabilidade para a empresa. Ela afirma que houve quase um milhão de adições líquidas no pós no 2º trimestre, uma evolução de 17% na base em relação ao mesmo período no ano anterior.
Já no pré-pago, 0,4 milhão de linhas foram desativas, o que, explica a companhia, é “parte do processo de racionalização do número de linhas ativas por cliente”, aliada à migração para planos pós-pagos com ofertas de voz ilimitadas e maiores franquias de dados.
Apesar de não informar números, a Claro garante que lidera o índice de portabilidade numérica tanto no segmento pós-pago quanto no pré-pago. O ‘Prezão’, que agora também tem uma opção diária de contratação, está ajudando a operadora a melhorar seu ARPU, ou seja, a receita média por usuário.
BANDA LARGA E TV POR ASSINATURA
Em relação ao 1º trimestre do ano, a Claro Brasil afirma ter aumentado sua participação de mercado tanto em banda larga fixa, que é líder através da marca NET, quanto em TV por assinatura, que recebeu inúmeras atualizações no portfólio para a Copa do Mundo.
Foram 100 mil novos acessos de banda larga no trimestre, sendo que, em ultra banda larga (ultrabroadband/conexões acima de 34 Mbps), a empresa alcançou 3 milhões de acessos e 51% de market share.

7
Deixe um comentário

avatar
6 Número de Comentários
1 Número de Respostas
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário com mais interação
0 Autores de comentários
RodrigoRafael MartinsLuciano F. F. SilvaGabrielAnônimo Autores recentes de comentários
  Cadastre-se  
o mais novo mais antigo mais votado
Notificação de
Bruno
Visitante

Avante Claro! Melhore a cobertura nas pequenas cidades que logo a liderança será sua!

Fabio Luiz Pamplona
Visitante

Completamente de acordo! Falta somente melhorar a expansão e a estabilidade do 4G que a liderança virá a seguir!

Anônimo
Visitante
Anônimo

Claro ta melhorando o sinal gsm no rio grande do sul ela ta construindo antenas nas estradas que nao tem cobertura de sinal a claro tem que virar lider passar a frente da vivo

Rafael Martins
Visitante

Leonardo, tens informação concreta sobre esta novidade de contrução de antenas, pois também espero que surja uma operadora para bater de frente com a VIVO aqui no RS.

Gabriel
Visitante

Só precisa ofertar pros clientes, a compra de aplicativos para não descontar da franquia.

Luciano F. F. Silva
Visitante

Cobertura 4g deixa a desejar em todo país… perde feio pra Vivo e Tim.

Rodrigo
Visitante

Se for móvel ok, mais se for internet fixa da NET e uma piada, em SP capital só oferece TV, internet só bairro nobre, triste.