Anatel autoriza compartilhamento de sinal entre TIM e Vivo

Objetivo é levar telefonia fixa e móvel para áreas rurais e afastadas do Brasil.



A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) permitiu que Vivo e TIM compartilhem as redes de telefonia entre si. Nesta sexta-feira (20), a agência publicou as outorgas da Telefônica, responsável pela Vivo, de radiofrequências associadas ao serviço móvel já solicitadas para a TIM.


Essas concessões fazem parte de um contrato de compartilhamento previsto no edital de faixas de 450 MHz e 2,5 GHz. Da mesma forma, a TIM poderá utilizar a rede já instalada da Vivo para alcançar mais clientes em áreas afastadas.



O objetivo do compartilhamento de rede é que a internet possa chegar em áreas rurais e mais afastadas do Brasil. Além do serviço móvel, a coparticipação deverá atingir também o atendimento de telefonia fixa, além do serviço de telefonia móvel.


LEIA TAMBÉM:


As frequências que serão usadas estão nas faixas de 800 MHz, 1,9 GHz e 2,1 GHz. As autorizações são válidas até novembro de 2020, mesma data de validade do acordo de compartilhamento de rede.

8 Comentários

  1. O artigo está mal redigido, pois detalhes confundem o leitor.
    Deveria dizer as frequências e as faixas de frequência, além do nome da "banda".
    Por Exemplo, as antigas bandas A e B, usadas pelo AMPS, TDMA e CDMA, ora eram chamadas
    de 800, ora de 850, ora de 900, por compreenderem a faixa que vai de 824 MHz à 894 MHz.
    Mas, dizendo só "banda A" ou "banda B" já se sabia qual era a faixa e aparelhos.
    O atual 3G, usa a "banda 1", que vai de 1755MHz à 2165MHz, e é comumente chamada de 2100.
    Então, quando o artigo fala 800 MHz, 1,9 GHz e 2,1 GHz, quais as bandas usadas ?

  2. Em quais estados teremos o compartilhamento entre Vivo e TIM?

  3. Deu para entender que será compartilhado no Brasil todo, tanto na telefonia fixa, celular e internet 3G e 4G.

  4. Até que enfim estão sendo inteligentes, tanto os elas como pra nós usuários.

  5. Pessoal, me explica uma coisa que eu não entendendo, o edital diz:

    "O objetivo do compartilhamento de rede é que a internet possa chegar em áreas rurais e mais afastadas do Brasil."

    Mas, se a TIM, vai usar a rede da VIVO, ja existente nessas localidades mais ditantes, a disponibilidade de rede para usuário final, está sendo a mesma, ou seja, nao está sendo investido em mais torres em pontos diferentes, nessas localidades. Se a rede da VIVO já existe ali, não é?

    Bom, ao menos é isso que eu entendo. Acredito que para ter mais redes disponiveis para o consumidor, deveria ser investidos em instalação de mais torres em diferentes pontos dessas localidades e não apenas fazer a operadora sem cobertura lá, usar a torre resistente da VIVO.

    Desse jeito, o raio de alcance não teria o mesmo?

    Outra coisa que eu nao entendo, é porque a VIVO concorda com isso, porque o diferencial dela é sua ampla cobertura, se ela deixar as outras operadoras usar a cobertura dela, ela não vai perder esse diferencial?

    Eu não atendo esse lance de compartilhamento de torre. Alguém pode me explicar essas duvidas?

    • simples, alguns lugares as torres estão ociosa e elas podem alocar pra outras operadoras no caso da tim e vivo.
      No parana a cobertura da tim é bem melhor que vivo e a vivo tem q investir determinado local, sendo que a torre da tim que suporta exemplo 10.000 usuários e tá atendendo somente 3.000 ou seja 7.000 tá ocioso e ela pode vender esse espaço pra outra operadora.
      As operadoras estão aqui pra ganhar dinheiro e não chegar lá instalar a torre e atender apenas 1 ou nenhum usuário.
      ai elas fazem isso, entendeu?
      todos ganham, operadora e usuário.

  6. quw sinifica compatilhamento

  7. Por favor, gostaria que informasse a fonte dessa infomaçao, pois na pagina da Anatel nao consta nada a respeito.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*