Oi e TIM fecham parceria para compartilhamento de infraestrutura

Acordo põe fim a batalhas judiciais entre as operadoras sobre discordância de valores cobrados pela divisão de rede.

As empresas TIM e Oi fecharam um acordo extrajudicial de intenção para compartilhamento de infraestrutura. O anúncio ao mercado e acionistas foi feito pelas empresas na noite desta terça (27), mas não revelou valores e os próximos passos que serão dados.


Stefano De Angelis, presidente da TIM, e Eurico Teles, presidente da Oi, assinaram um memorando de entendimento (MOU) sobre planejamento de compartilhamento de infraestrutura nesta segunda-feira (26), durante o Mobile World Congress, em Barcelona.




Na prática, pouca coisa muda. Oi e TIM já mantém um contrato de compartilhamento de mais de 6,2 mil torres de telefonia celular em todo o Brasil. As duas empresas dividem os gastos com implantação de equipamentos e manutenção da rede.

Segundo o próprio comunicado das empresas emitido agora há pouco, o acordo “inaugura uma importante etapa de tratativas que busca equacionar suas respectivas controvérsias e abre um novo ciclo de planejamento de compartilhamento de infraestrutura, na mesma linha de parcerias que já são praticadas atualmente no mercado de telecomunicações brasileiro”.


A parceria, porém, é benéfica principalmente porque acaba com um imbróglio entre as empresas que terminou na Justiça. A TIM questionou nos tribunais o preço cobrado pela Oi pelo aluguel de rede na chamada Exploração Industrial de Linha Dedicada (EILD). 


Essa exploração é concedida por uma operadora que detém a concessão dos serviços em uma região, que passa autorização para que uma outra empresa tenha espaço na infraestrutura e também possa fornecer serviços na localidade.

LEIA TAMBÉM:

A Oi chegou a suspender o fornecimento de rede para a TIM, deixando pelo menos 30 cidades sem comunicação de internet ou ligações da operadora italiana. A empresa se justificou dizendo que não havia recebido o pagamento devido pelo serviço. Na ocasião, os valores cobrados e devidos eram próximos de R$ 54 milhões.

“A iniciativa fortalece um ambiente propositivo e de colaboração industrial dentro de um contexto de concorrência saudável para o setor de telecomunicações”, continua o comunicado das teles, frisando que a parceria veio para manter a paz entre as companhias no que se refere a implantação e manutenção da rede de telecomunicações dentro do Brasil.

Oi procurou a Vivo para expandir 4G

No mês passado, o Minha Operadora repercutiu a informação de que Teles (da Oi) havia procurado o presidente da Telefônica Vivo, Eduardo Navarro, para conversar sobre a possibilidade de usar a rede móvel 4G da empresa espanhola para aumentar a cobertura da tele brasileira.

A Nextel, por exemplo, mantém um acordo para utilizar a estrutura da Vivo em quase todos os estados brasileiros, mas somente para o sinal de comunicação 3G.



About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.

6 Comentários

  1. Em um futuro próximo iremos ter uma fusão 100%.

  2. kkkkkkkkkkkkkkkkk… vlw pela ajuda!

  3. Tomara que elas se juntem logo…

  4. Oi e TIM já namoram a muito tempo… Mas para o Brasil, para os consumidores é bom que existam 4 ou 5 grandes operadoras e não somente 3… Sou contra a fusão.

  5. como vai ser usado o sinal da operadora

  6. Se tem o 2G EM 100% do Brasil e pode virar 4G é só se juntarem e colocar o 4G geral.

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.


*