TIM fecha primeiro trimestre de 2016 com queda na receita e no lucro

Em contraste, clientes gastaram mais com serviços da operadora e faturamento com setor fixo aumentou. Analise o resultado completo.

A TIM apresenta a partir das 12h30 desta quinta-feira, 12, os seus resultados financeiros e operacionais referentes ao primeiro trimestre de 2016. Houve queda na receita e nos lucros, mas a companhia justificou esse mal comportamento a um “desempenho macroeconômico difícil” e ao corte na tarifa dos valores de interconexão (a taxa que as teles recebem quando um número de outra operadora liga para alguém da sua base).

A operadora finalizou o período com uma queda na sua receita (faturamento) líquida de 15,3%, que passou de R$ 4,55 bilhões no 1T15 para R$ 3,85 bilhões no 1T16. Em comparação com o 4º trimestre de 2015, o resultado atual é -6,3% menor.

A receita obtida com Serviços de Valor Agregado (SVA), no entanto, tiveram um pulo de 16% em relação ao ano passado. O crescimento acompanha a receita de serviços fixos, que subiu 14,3%, para R$ 180,8 milhões, graças ao bom desempenho do TIM Soluções Corporativas e do serviço TIM Live – ultra banda larga fixa da operadora.

O lucro líquido da TIM, que no trimestre anterior (4T15) era de R$ 446,56 milhões, neste primeiro trimestre foi parar em R$ 144,4 milhões, uma baque de -67,7%.


Mesmo em uma situação difícil, os novos planos da TIM parecem ter feito os seus clientes gastarem mais com suas linhas de celular. A receita média que a operadora obteve com cada usuário no 1T15 foi de R$ 16,70. No 1T16 cada cliente gastou, em média, R$ 17,20 com o serviço da empresa.

Foram contabilizados R$ 7,86 bilhões de dívida bruta até o final de março deste ano, sendo que grande parte desse total (82%) é por causa de financiamentos realizados junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e ao BEI (Banco Europeu de Investimento).

Passando a imagem de uma empresa preocupada com a sustentabilidade, a TIM divulgou também o seu consumo de energia durante os três primeiros meses de 2016. Foram 97.695 MWh gastos, contra 105.602 MWh consumidos no mesmo período de 2015 (-7,5%). O valor gasto com combustível também caiu (-7,2%), para 384.392 litros consumidos.

A operadora destaca ainda no seu relatório:
  • a consolidação da liderança na cobertura da tecnologia de internet de quarta geração (4G/LTE) – 439 cidades, 8 mil torres e 60% da população urbana;
  • a melhoria da qualidade baseada nos indicadores da Anatel (para o móvel) e do ranking de velocidade do serviço de streaming de vídeos Netflix (para a banda larga fixa) – R$ 710 milhões investidos;
  • aproximação do faturamento do serviço de voz com o de dados – Voz (57%) / Dados (43%).



“O Brasil conheceu o novo posicionamento da TIM. A atual visão da companhia reforça o seu pioneirismo, a
transparência, a coragem, o compromisso com a qualidade e o foco permanente em inovação. Tenho confiança
na capacidade da empresa de seguir evoluindo a partir dos fundamentos sólidos construídos até aqui. Isso
porque a TIM sabe fazer a diferença, oferecendo ao mercado respostas rápidas às transformações tecnológicas
e às tendências de comportamento e buscando assegurar, sempre, a melhor experiência a seus clientes. Como
destacado na nova assinatura: ‘Evoluir é Fazer Diferente'”
– Rodrigo Abreu, presidente.


Leia também:

About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários