segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Claro cria nova versão de comercial sem mencionar WhatsApp

O que você achou? 
Operadora trocou o nome do aplicativo para "app de mensagens" em comercial com o cantor Samuel Rosa.



Quem assistiu ao The Voice Kids Brasil neste domingo (3) deve ter notado que a Claro é a patrocinadora oficial do programa. Foi possível notar também que, durante a veiculação da propaganda da empresa no reality show musical, o comercial com o cantor Samuel Rosa foi alterado.

A Claro removeu os trechos do comercial em que o nome do aplicativo de mensagens instantâneas do Facebook - WhatsApp - era mencionado. Ou seja, o jingle cantado pelo vocalista do Skank ficou assim:

"Surfar na web todo mundo quer.
Na Claro a gente curte ainda mais.
É ilimitado, pode aproveitar,
Um mês inteiro nas redes sociais.
Avisa que a internet a Claro turbinou,
Rede social e WhatsApp app de mensagens.
Quem tá na Claro tá com o chip certo,
É o chip da internet e ainda tem ligação."

A locução de anúncio da oferta também foi mexida: "Só a Claro te dá WhatsApp app de mensagens e redes sociais ilimitadas e planos a partir de R$ 31,90 mensais, sem consumir sua internet. Aproveite!", finaliza o vídeo.

Reveja o filme de 30 segundos original, sem as modificações:


Mudança foi imposição da TV Globo

Mesmo a Claro tendo todo o trabalho de fazer duas versões para todos os seus comerciais em que é citado o WhatsApp, a alteração foi necessária devido a uma cláusula dos contratos publicitários realizados junto à TV Globo, maior emissora de televisão do Brasil.

A Globo passou a exigir, desde 2011, que os anunciantes que façam propaganda de empresas digitais - como WhatsApp, Facebook e Twitter - paguem uma taxa extra na hora de adquirir espaço nos seus blocos comerciais. Segundo fontes do mercado publicitário, essa taxa às vezes chega a custar o dobro do valor do anúncio, compensando mais para o anunciante gastar um pouco para realizar a alteração na campanha publicitária.

A justificativa dada pela empresa de mídia é simples: ao citar o nome de redes sociais, essas empresas norte-americanas bilionárias estão ganhando destaque e divulgação gratuita dentro do veículo de mídia com o maior alcance do país.

Portanto, se quiser ter o seu aplicativo divulgado dentro da Globo, Mark Zuckerberg terá que pagar para a emissora, ou torcer para que alguma outra empresa esteja disposta a pagar por isso - o que é muito difícil de acontecer, vide a atitude da Claro de acatar a decisão da emissora e passar a produzir sempre duas versões de uma mesma campanha.

Leia também:


Nenhum comentário:

Postar um comentário