sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Oi desanima acionistas ao anunciar corte de dividendos

O que você achou? 
Também: Cento e vinte pessoas foram demitidas pela operadora em Portugal, segundo um sindicato dos trabalhadores.

Oi anunciou nesta quinta-feira (29) que o Conselho de Administração cancelou a política de distribuição de dividendos* prevista para valer entre os anos de 2013 e 2016, e que estabelecia um valor fixo de R$ 500 milhões por ano.

Agora, a empresa seguirá apenas a legislação brasileira, que determina a distribuição de acordo com o estatuto da companhia, o que deverá ser menos que essa quantia, ou até um valor nulo por três anos, como permite a legislação.

Como reação à notícia, as ações preferenciais (PN, sem voto) da Oi fecharam esta sexta-feira (30) valendo 10,93% menos na Bovespa, para R$ 4,97, acumulando perdas de mais de 39,5% só em 2015. De janeiro de 2014 até janeiro deste ano, a perda de valor chega a 87%.

A política anterior seguia três parâmetros: 25% sobre o lucro líquido ajustado, 3% o patrimônio líquido ou 6% do capital social.

Foi a forma encontrada pela empresa para agradar os investidores minoritários, que criticavam a reestruturação da companhia que permitiu a entrada da Portugal Telecom no capital.

O processo foi tumultuado por críticas de acionistas da Oi à avaliação dos bens dados pela empresa portuguesa como pagamento da participação da nova companhia.

Depois, descobriu-se que a Portugal Telecom havia feito um empréstimo de € 897 milhões para sua controladora, a holding Rio Forte, ligada ao Banco Espírito Santo. O banco quebrou e a operação levou a uma renegociação da participação dos portugueses na nova empresa.


A mudança procura também dar mais fôlego para a companhia, que sofre com o peso de uma dívida que, em setembro, chegava a R$ 47,8 bilhões, a maior parte (62,8%) em moeda estrangeira, segundo a corretora Planner.

A dívida é um dos maiores problemas da empresa, que tenta comprar ou unir-se a concorrente TIM para consolidar sua presença no mercado e cumprir o papel de 'supertele' nacional, dado a ela pelo governo e que implicou em mudanças nas regras regulatórias e empréstimos oficiais na época da compra da Brasil Telecom.

* Dividendos são uma parcela do lucro apurado por uma empresa, distribuída aos acionistas por ocasião do exercício social, de acordo com a leia das sociedades anônimas (S.A.).

Oi provoca demissões em Portugal

O que os sindicatos dos trabalhadores de Portugal mais temiam, aconteceu. Segundo o SINTTAV (Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual), 120 funcionários de um call center da Oi em Portugal foram surpreendidos hoje (30) com suas respectivas cartas de demissão.

Outros 170 trabalhadores tiveram seus vínculos trabalhistas com a companhia encerrado, esses trabalhavam no atendimento da operadora MEO, controlada pela Portugal Telecom, que por sua vez, ainda é controlada pela Oi.


Antônio Caetano, vice-presidente do SINTTAV, disse ainda que está para acontecer mais 30 demissões numa outra central da MEO, operadora controlada pela PT Portugal.

Após conseguir vender a Portugal Telecom para a Altice, a Oi começa agora a sair de Portugal - fechando operações e demitindo pessoal - para voltar a concentrar seus esforços em crescer no Brasil.

                         Oi projeta até R$ 7,4 bilhões EBITDA em 2015

Com informações de Exame e jornais portugueses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário