domingo, 30 de junho de 2013

4G ainda não agradou por aqui

O que você achou? 
Embora já esteja disponível no Brasil há cerca de seis meses (ou dois, se levarmos em consideração o lançamento oficial por todas as operadoras) o serviço de 4G ainda está deixando a desejar para os primeiros clientes.

Assinantes de pacotes de operadoras como Claro (a primeira a oferecer o serviço no país) e Vivo sofrem com problemas de conexão, devido ao fraco sinal da tecnologia.

Segundo clientes, a informação de que as operadoras estão cumprindo à determinação da Anatel de manter uma cobertura de 50% nas cidades atendidas não condiz com a realidade.

"Em muitos lugares é informado que o sinal é forte, mas nem pega. Em locais fechados, não funciona de jeito nenhum", afirma Gustavo Klapper, cliente paulista da Claro, que respondeu ao assinante que "está tudo normal".

Outros consumidores, que pagam mensalidades a partir de R$ 200 reais para contar com o serviço de alta velocidade, reclamam que na maioria dos casos, o 4G acaba ficando no 3G.

No site Reclame Aqui, por exemplo, foram registradas 253 reclamações entre os meses de maio e junho, falando do mau serviço 4G de todas as operadoras, em diferentes regiões do país. A maioria está relacionada a falhas na conexão, ausência de sinal e propaganda enganosa.

Segundo aponta a Anatel, atualmente circulam no país 48 mil aparelhos com serviço 4G ativado, um número bem pequeno perto do quadro geral de linhas móveis no país, que somam 264,5 milhões.

Para explicar a dificuldade de disponibilizar o sinal 4G, a Telefônica/Vivo, que lançou seu serviço em maio e já conta com cerca de 28 mil linhas, reconhece que a cobertura não é suficiente, e a entrada em locais fechados é um problema.

"Por trafegar em uma frequência mais alta que a 3G, a rede 4G precisa de maior número de sites. É natural que o usuário passe a navegar em 3G quando não tem 4G. Mas quem não tem uma rede 3G robusta, verá o cliente indo de 4G para 2G", afirmou.

Conforme destacam as quatro operadoras licenciadas para o 4G (Vivo, Claro, TIM e Oi) o ritmo é de investimentos para o 4G, principalmente nas capitais que sediarão a Copa do Mundo. O prazo da Anatel para a implantação é dezembro.

Para agilizar este processo, as operadoras firmaram parcerias no início do ano. A Claro e Vivo assinaram um compartilhamento físico de suas estruturas, enquanto Oi e TIM compartilharam também suas redes de quarta geração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário