18/06/2024

Telefonia fixa e TV por assinatura tem queda expressiva no último ano

Tanto a Telefonia fixa quanto a TV por assinatura no Brasil tiveram quedas expressivas segundo os últimos dados da Anatel.

Após uma desaceleração em março, os cancelamentos de telefonia fixa aumentaram em abril, com 640 mil linhas desativadas, o maior número de 2024 até agora, superando ligeiramente as 638 mil de fevereiro. Dados da Anatel indicam que o Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) terminou abril com 23,91 milhões de linhas ativas, uma redução de 2,6% em relação a março (24,55 milhões).

Em um ano, houve um aumento alarmante no número de cancelamentos do serviço de linhas fixas. Em abril de 2023, o país tinha 26,94 milhões de linhas fixas, mas ao longo desse período, 3,03 milhões de acessos foram descontinuados, resultando em uma queda anual de 11,3% em termos percentuais.

A Claro perdeu 43 mil linhas fixas em abril, ficando com 7,18 milhões de acessos. A Oi teve 83 mil desligamentos, reduzindo sua base para 6,37 milhões. A Vivo registrou 61 mil cancelamentos, ficando com 6,16 milhões de linhas ativas. A Algar perdeu 12 mil clientes, totalizando 1,02 milhão de acessos. Em relação à outorga, 54,6% do mercado é dominado pelas empresas de autorização, enquanto as concessionárias representam 45,4%.

TV por assinatura

A TV por assinatura no Brasil também está experimentando um declínio contínuo, semelhante ao que já ocorreu com a telefonia fixa. Em abril, o número de assinantes desse serviço chegou a 10,85 milhões, representando uma queda de 1,8% em relação a março, quando havia 11,05 milhões de assinantes. Durante o quarto mês do ano, houve o cancelamento de 195 mil contratos.

Olhando para um período mais longo, nos últimos 12 meses, o setor registrou um total de 2,38 milhões de cancelamentos, comparado aos 13,23 milhões de assinantes em abril de 2023. Isso representa uma redução anual de 18% no número de assinaturas. Esse declínio contínuo aponta para uma mudança no comportamento dos consumidores em relação às opções de entretenimento e ao modo como consomem conteúdo televisivo.

No mês de abril, as principais empresas do setor de TV por assinatura sofreram uma queda no número de clientes. A empresa Oi, por exemplo, teve 71 mil desconexões, resultando em uma base de clientes reduzida para 1,27 milhão. Da mesma forma, tanto a Claro, com 5,16 milhões de assinantes, quanto a Sky, com 3,13 milhões, registraram 59 mil cancelamentos de contratos.

É importante ressaltar que esses números se referem especificamente ao modelo de TV por assinatura regulado pela Lei do Serviço de Acesso Condicionado (SeAC), que inclui serviços como TV a cabo e por satélite. Os planos de TV por streaming não estão inclusos nessas estatísticas.

3 COMENTÁRIOS

Se inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários