14/07/2024

2,6 bilhões de pessoas ao redor do mundo não acessam à internet, diz ONU

Relatório da UIT, que faz parte da ONU, revelou dados importantes sobre a distribuição de internet ao redor do mundo.

A União Internacional de Telecomunicações (UIT), que é uma agência das Nações Unidas especializada em questões de telecomunicações e tecnologia da informação, está empenhada em utilizar a inteligência artificial (IA) como ferramenta para reduzir a exclusão digital ao redor do mundo.

De acordo com o relatório “The State of Broadband 2024” (O Estado da Banda Larga 2024), elaborado pela Comissão de Banda Larga para o Desenvolvimento Sustentável da UIT, a IA tem um enorme potencial para auxiliar na inclusão digital.

A meta é conectar à internet mais de 2,6 bilhões de pessoas que atualmente estão desconectadas. Este relatório destaca como a tecnologia pode ser um poderoso aliado na expansão do acesso à internet, proporcionando oportunidades de comunicação, educação e desenvolvimento econômico para populações que hoje vivem à margem do mundo digital.

Apesar do avanço significativo da tecnologia em todo o mundo, seus benefícios ainda não são acessíveis a todos de maneira equitativa. Grupos vulneráveis, como mulheres, idosos e pessoas com deficiência, frequentemente não têm o mesmo acesso às inovações tecnológicas.

Essa exclusão é particularmente evidente em países com menor nível de desenvolvimento. Nesses locais, a infraestrutura tecnológica e as oportunidades de educação e formação são limitadas, dificultando ainda mais o acesso dessas populações aos avanços tecnológicos. Como resultado, esses grupos continuam enfrentando barreiras que os impedem de aproveitar plenamente as vantagens que a tecnologia pode oferecer, perpetuando assim desigualdades sociais e econômicas.

O relatório destaca que as soluções de IA podem acelerar o alcance das metas de defesa da banda larga, conectando todos os habitantes do mundo online e avançando nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.

O estudo ainda mostra que as tecnologias emergentes estão transformando a tomada de decisões e a prestação de serviços, especialmente em setores como governo, educação, saúde e finanças, promovendo o bem-estar da humanidade.

O relatório The State of Broadband 2024 destaca desafios das tecnologias emergentes, como o consumo de energia, a desinformação, os preconceitos e a discriminação de gênero. Os comissionários focaram em estratégias para minimizar esses riscos e maximizar os benefícios.

Atualmente, existem 5,4 bilhões de pessoas no mundo que utilizam a internet. Além disso, até o final deste ano, espera-se que mais de 100 milhões de pessoas passem a ter acesso à tecnologia de conexão.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários