18/04/2024

Grupo TIM projeta avanço de 3% em receitas após venda da NetCo

Venda da rede fixa permitirá que a tele opere com menos restrições financeiras e regulatórias e com maior foco em componentes industriais.

Nesta semana, o Grupo TIM (antiga Telecom Itália) aprovou o lançamento de um plano industrial e anunciou metas financeiras de lucro, receita e redução de dívida de 2024 a 2026. O plano apresentado pelo CEO Pietro Labriola foi aprovado por unanimidade pelo conselho de administração, nesta quarta-feira (06), com uma projeção de avanço de 3% ao ano em receitas.

O documento leva em consideração a venda de unidade de rede fixa, NetCo, cujo negócio firmado com o fundo KKR deve ser concluído em meados deste ano. Em comunicado, a empresa destacou que “a venda da rede fixa permitirá à TIM operar com menos restrições financeiras e regulatórias e com maior foco em componentes industriais”.

A companhia ainda projeta que, após a venda da NetCo, a relação dívida/EBITDA após aluguéis caia de 3,8 vezes, em 2023, para 1,6 a 1,7 vezes, em 2026. Os números também incluem a participação da Sparkle, braço de atacado responsável pela rede de cabos submarinos que está à venda.

O objetivo do plano industrial é aumentar os lucros e a receita pelos próximos três anos, além de reduzir o nível atual de dívida líquida em 1,6 a 1,7 até 2026. A empresa espera crescimento anual composto de 8% no lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) orgânico do Grupo TIM depois do pagamento de aluguéis (lease).

Especificamente para 2024, a previsão de crescimento da receita é de 3% a 4%, enquanto a do Ebitda é de 8% a 9%. No caso do EBITDA orgânico após aluguéis e investimentos (lease-capex), a estimativa é de que alcance 2,2 bilhões de euros em 2026, contra 1,3 bilhão de euros em 2023.

Especificamente na Itália, o plano prevê uma segunda onda de redução de custos, com um incremento de 400 milhões de euros até 2026. “A TIM será a operadora com a infraestrutura mais extensa da Itália e continuará investindo em sua rede móvel, acelerando o desenvolvimento do 5G, contando com o mais amplo espectro e rede de transporte de dados do país”, diz o grupo, em nota.

Em 2023, o Grupo TIM registrou um prejuízo líquido de 1,4 bilhão de euros. No ano anterior, o valor era bem maior, de 2,9 bilhões de euros. Já a receita cresceu 3,2% na comparação anual, a 16,3 bilhões de euros.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários