21/02/2024

Google quer regulação para empresas que fazem programas de espionagem

Google convidou empresas que produzem programas espiões para uma "conversa". Companhia quer regras rígidas para o setor.

O Google chamou várias empresas que fazem softwares de espionagem (spywares) para conversar na terça-feira (6). O Google acha que essas empresas estavam deixando pessoas perigosas usar ferramentas de hacker. Ele também pediu aos Estados Unidos e a outros países aliados que façam mais para controlar essas empresas de espionagem. Isso foi relatado pela Reuters.

Google

As empresas de espionagem dizem que seus produtos são feitos para que os governos os usem para proteger o país. Mas descobriu-se que essas tecnologias foram usadas para invadir os smartphones de pessoas comuns, políticos da oposição e jornalistas nos últimos dez anos.

As pessoas estão falando muito mal de uma área específica por causa de um programa chamado Pegasus, criado por uma empresa de Israel chamada NSO. Esse programa foi descoberto em celulares de muitas pessoas em diferentes lugares do mundo, até mesmo em telefones de pessoas que lutam pelos direitos humanos.

No relatório divulgado na terça-feira (6), os pesquisadores do Google explicaram que há muitas empresas pequenas além da NSO que ajudam na criação e disseminação de tecnologia de espionagem para fins ruins.

As descobertas do Google são importantes porque a empresa tem uma boa visão das atividades de hackers ao redor do mundo, já que oferece muitos serviços online.

Os pesquisadores do Google disseram que a procura por tecnologia de espionagem por parte de governos ainda é alta. Eles também destacaram que empresas privadas estão desenvolvendo ferramentas avançadas de espionagem, o que torna a segurança da Internet mais frágil para todos.

“A demanda por parte de clientes governamentais continua forte e nossas descobertas ressaltam até que ponto os fornecedores de spyware comercial proliferaram capacidades de hacking e spyware que enfraquecem a segurança da Internet para todos. O setor privado é agora responsável por parte significativa das ferramentas mais sofisticadas que detectamos”.

No ano passado, os Estados Unidos e alguns de seus amigos concordaram em fazer esforços para parar a indústria de software de espionagem. Isso aconteceu depois que descobriram que pelo menos 50 pessoas que trabalham para o governo dos EUA em dez países foram atacadas por programas espiões nos seus dispositivos.

Os cientistas do Google também fizeram uma lista de empresas que oferecem diferentes serviços para hackear smartphones. Essas empresas estão sempre buscando formas de burlar as últimas medidas de segurança da Apple e do Google nos seus sistemas operacionais, como o iOS e o Android.

A lista inclui empresas como Cy4Gate, RCS Labs, Intellexa, Negg Group e Variston. O Google acusa o Negg Group de espionagem na Itália, Malásia e Cazaquistão. A Variston criou software para infectar dispositivos via Google Chrome, Mozilla Firefox e iOS. A Protected AE também usou técnicas semelhantes. As empresas não responderam aos pedidos de comentários.

O Google divulgou um relatório importante logo após os Estados Unidos terem anunciado uma nova regra sobre vistos. Essa regra visa restringir a entrada de pessoas que usam indevidamente programas espiões comerciais, chamados de spyware. Isso significa que indivíduos que usam esse tipo de software, assim como aqueles que ajudam ou se beneficiam disso, podem enfrentar restrições para entrar nos Estados Unidos.

O Google destacou que essa medida de limitar a atuação dos fornecedores de spyware nos Estados Unidos é positiva. Isso porque ajuda a mudar o ambiente que favoreceu o crescimento desse tipo de programa. Em outras palavras, ao tornar mais difícil para as empresas de spyware operarem nos Estados Unidos, elas terão menos incentivos para continuar suas atividades.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários