05/04/2024

Ericsson lança solução baseada em IA que vai permitir controle de redes de telecom

Com a plataforma Ericsson Operation Engine, a tecnologia permite que um especialista de rede peça para o prompt a ação que quer realizar.

Nesta semana, a Ericsson anunciou o lançamento de novas capacidade, conhecidas como operações intent-based de Inteligência Artificial (IA), que serão entregues por meio da plataforma Ericsson Operations Engine (EOE) e serão capazes de fornecer uma estrutura ponta a ponta para traduzir as intenções de requisitos de negócios em ações de rede em tempo real.

O negócio vai possibilitar serviços 5G premium diferenciados, com acordos de nível de serviço (SLAs) garantidos para consumidores e empresas. Com isso, Ericsson Operations Engine agora pode recomendar e tomar as ações necessárias, verificar se os objetivos/intenções da rede são atendidas e apoiar a avaliação de opções de solução com estratégias pré-definidas.

De acordo com a empresa, as operações intent-based de IA permitem uma maior variedade de aplicações e casos de uso para consumidores e empresas. Lançada na última sexta-feira (9), a tecnologia suportará perfeitamente redes auto-otimizadas que são impulsionadas pela intenção e pela hiperautomação, e podem se adaptar dinamicamente para aumentar a variabilidade da demanda de serviço.

Feito com a plataforma Ericsson Operation Engine, o Intent-Based Operations permite que um especialista de rede peça para o prompt a ação que quer realizar na rede, ou também quais informações precisa naquele momento para uma tomada de decisão, inclusive em tempo real.

A tecnologia consiste em uma biblioteca de IA e automação da Ericsson que é fortalecida por machine learning, orquestração de rede, machine reasoning e gerenciamento de dados.

As operações intent-based de IA da Ericsson já são usadas em casos com Digital Nasional Berhad (DNB) da Malásia. Ken Tan, Chief Technology Officer da DNB, explica que a parceria “contribuiu muito para nos tornarmos líderes mundiais em desempenho 5G. Juntos, implementamos a primeira rede central multioperadora (MOCN) do mundo, que permite que as seis operadoras móveis acessem a rede de acesso por rádio 5G com sua própria rede principal, sem comprometer a experiência do usuário final ou o desempenho da rede”.

“Agora, a adoção contínua de operações baseadas na intenção de IA permite-nos dimensionar a rede sem custos incrementais, o que é essencial para tornar o 5G acessível e disponível para consumidores e empresas, à medida que a Malásia continua a adotar a digitalização”, completa.

Já Bradley Mead, Head of Network Managed Services, Ericsson, explica que a solução es permitindo que o Ericsson Operations Engine (EOE) entenda a linguagem de negócios dos provedores de serviços de comunicação (CSPs) e traduza em uma especificação técnica de serviço de telecomunicações para que a rede entregue automaticamente o resultado comercial solicitado e é capaz de evoluir constantemente para atender às demandas futuras.

Ele ainda completa, afirmando que “Este é um grande passo na nossa jornada de redes autônomas, que mostra como o Ericsson Operations Engine continua na vanguarda da inovação ao transformar as operações de rede“.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários