15/06/2024

VP da Claro diz que ‘internet do país vai parar’; entenda

Fábio Andrade, o vice-presidente institucional da tele, alerta para o projeto de construção da usina de dessalinização de água em Fortaleza.

A construção de uma usina de dessalinização de água na Praia do Futuro, em Fortaleza, tem sido alvo de críticas de muitas empresas de telecomunicações, que afirmam que a estrutura poderá comprometer a internet no Brasil. Em entrevista à Folha de São Paulo, o vice-presidente institucional da Claro, Fábio Andrade, se posicionou contra o projeto.

O executivo, que lidera uma reação contra a obra da usina, diz que a instalação dos dutos no local vão desencadear vibrações na água que podem ocasionar o rompimento dos cabos, resultando na quebra da internet do Brasil com outros países.

Assim como várias empresas de telecomunicações, o executivo defende que o projeto ameaça a integridade dos cabos submarinos, responsáveis pela conexão de quase toda a internet do país com o restante do mundo. Acontece que a usina deve ser construída na região do litoral cearense, onde também estão localizados os cabos submarinos de fibra óptica.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) também já se manifestou sobre o assunto, exigindo que os dutos da usina fossem instalados, no mínimo, 500 metros dos cabos submarinos. Isto porque, anteriormente, o projeto estabelecia a distância de apenas cinco metros.

Entretanto, Fábio Andrade diz que essa distância exigida pela Anatel impede a ampliação dos cabos. Ele explica que já há um plano para dobrar o número de cabos em três anos, mas para isso, é necessário que a distância seja de 1 mil metros, no mínimo.

Ao ser questionado de que não seria exagero dizer que a usina pode causar a interrupção da internet em todo o país, o executivo destacou que “Quase toda a conexão internacional do país com EUA, Europa e África chega na Praia do Futuro, em Fortaleza (CE). Um reparo leva, no mínimo, 50 dias. Isso afetaria a segurança pública, saúde, hospital, a população”.

No caso, Andrande aponta duas opções que poderão ser seguidas. Uma é a mudança do projeto da usina para outra praia.

“Não encontro razão para esse projeto ser exatamente nessa praia. A água é a mesma. Se ficar lá mesmo, teremos sérios problemas de expansão”, dando como opção a instalação da usina para a Praia da Árvore.

A segunda opção é procurar outra praia para a expansão da capacidade de internet. Entretanto, como a região da Praia do Futuro é a mais próxima ligação com todos os continentes e as marés são ideais [sem muita vibração nos cabos], ir para outra área, o custo seria maior, além de ter de providenciar a conexão em terra entre esses dois terminais de cabos.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários