24/02/2024

Grupo TIM avalia ofertas da KKR para unidades de rede fixa na Itália

Reunião de conselho do Grupo TIM, em novembro, decidirá o destino da NetCo e da Sparkle diante da proposta da KKR.

O Grupo TIM, anteriormente conhecido como Telecom Italia, proprietário da TIM Brasil, está prestes a avaliar as ofertas recebidas pela sua unidade de rede fixa na Itália em negociações com a KKR, um fundo de investimento norte-americano.

TIM KKR

O conselho de administração da operadora se reunirá entre os dias 3 e 5 de novembro para considerar as propostas apresentadas pela KKR, como anunciado em um comunicado divulgado no domingo, 22 de outubro.

Nessa reunião, a direção da empresa irá avaliar a oferta vinculante para a NetCo, que é como a unidade de rede fixa terrestre é chamada, bem como a proposta não vinculante relacionada à Sparkle, que é a rede de cabos submarinos da operadora. Após vários meses de negociações, os lances para adquirir esses ativos foram apresentados pela KKR em 16 de outubro.

De acordo com uma nota do Grupo TIM, em 3 de novembro, o conselho irá examinar as ofertas relativas às unidades de fibra óptica e cabos submarinos. No dia 4, o órgão responsável pelas decisões da companhia realizará uma reunião informal para discutir as propostas com gestores e conselheiros. Por fim, em 5 de novembro, o conselho se reunirá novamente em uma reunião formal para tomar decisões finais sobre as ofertas.

A KKR (Kohlberg Kravis Roberts & Co. L.P.) é uma empresa de private equity, o que significa que ela se dedica a investimentos em empresas privadas, muitas vezes adquirindo participações majoritárias ou controladoras nessas empresas. Recentemente, a KKR ganhou o direito exclusivo de negociar com o Grupo TIM após superar a proposta apresentada pelo banco estatal italiano CDP.

A operadora de telecomunicações Grupo TIM está buscando vender sua divisão chamada NetCo, que é composta por duas partes distintas: a FiberCop, que é uma empresa especializada em infraestrutura de fibra óptica, e a Sparkle, que é responsável por uma rede de cabos subaquáticos. A motivação por trás dessa venda é a redução do endividamento do Grupo TIM, já que seu balanço financeiro mais recente revela uma dívida líquida que ultrapassa os 26 bilhões de euros, o equivalente a cerca de R$ 138,3 bilhões.

A KKR, no entanto, optou por apresentar uma proposta vinculante apenas para a aquisição do braço de fibra óptica, ou seja, a FiberCop. Isso significa que a KKR deseja adquirir e investir especificamente na parte da empresa relacionada à infraestrutura de fibra óptica. Essa proposta tem um prazo de validade até 8 de novembro, mas pode ser estendida até 20 de dezembro, se necessário, para permitir negociações adicionais.

No que diz respeito à Sparkle, o fundo assumiu o compromisso de apresentar uma proposta final até 20 de novembro.

De acordo com relatos da mídia global, a firma de investimentos está simultaneamente em conversações com o governo italiano, que manifestou interesse em adquirir uma participação minoritária nos recursos atualmente sob posse do Grupo TIM.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários