19/05/2024

Consumidora recebe 50 pacotes da Amazon sem ter feito compra alguma

Situação inusitada tem gerado estresse para a mulher que não realizou nenhuma compra e ainda está acumulando dívida na Amazon.

Uma residente da região canadense da Colúmbia Britânica expressa sua frustração diante da situação recorrente de receber pacotes da Amazon em sua residência, mesmo sem ter feito qualquer solicitação.

Compras Amazon

Segundo um relatório da CBC, Anca Nitu a pessoa afetada, tendo sido confrontada, nos últimos dois meses, com a entrega de mais de 50 encomendas provenientes da plataforma de comércio eletrônico.

Nitu relata que todos os pacotes contêm diversos tipos de calçados, abrangendo sapatilhas e tamancos de várias tonalidades e marcas distintas. Conforme o tempo avançava, alguns pacotes foram simplesmente deixados à entrada da sua habitação pelos entregadores, sem que lhe fosse concedida a oportunidade de questionar a validade da entrega. Devido à natureza das remessas, que têm origem nos Estados Unidos, ela inclusive recebeu uma fatura de 300 dólares referente ao custo do transporte das compras, apesar de estas não serem, de fato, da sua autoria.

“Eu começo a tremer quando vejo pacotes na minha porta. Eles continuam vindo e simplesmente não param”, disse Nitu.

Qual a explicação para esse acontecimento?

Ainda aguardando uma resposta oficial da Amazon, existe a possibilidade de que a situação envolvendo a canadense seja relacionada ao conceito de um “endereço laranja”. Este termo é usado para descrever um ponto de envio utilizado para devolver mercadorias indesejadas, as quais são devolvidas pelos compradores.

De acordo com informações fornecidas pela Better Business Bureau (BBB), organizações vendedoras localizadas em países como China e Índia podem evitar receber de volta lotes de produtos em seus próprios endereços internacionais devido a diversos motivos, tais como limitações de tempo, problemas de estoque acumulado e custos de remessa.

Uma estratégia utilizada para lidar com essa situação é escolher um local próximo aos consumidores, que atua como uma espécie de ponto central para o recebimento desses produtos devolvidos. No caso específico de Nitu, ela alega possuir uma conta inativa na Amazon e suspeita que seu nome e endereço tenham sido divulgados ou indevidamente acessados, sendo então utilizados como um falso endereço residencial. Na realidade, esse endereço estaria sendo empregado como um ponto de depósito para esses produtos devolvidos.

A Amazon, em resposta a essa situação, comunicou ao site The Verge que a empresa identificou o problema e planeja tomar medidas corretivas para resolvê-lo. Por enquanto, a canadense Nitu está enfrentando um impasse quanto à cobrança de US$ 300 por parte do serviço postal local. Até o momento, o serviço postal não se pronunciou a respeito desse caso específico.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários