25/06/2024

Venda de smartphones cai no 1T23, mas demanda pelo 5G aumenta

Segundo a IDC Brasil, foram vendidas 9.514.227 aparelhos celulares, sendo que 9.514.227 foram smartphones e 432.968 feature phones.

De acordo com dados da IDC Brasil, no primeiro trimestre do ano, houve uma baixa de 11% de vendas unitárias de smartphones vendidos no mercado brasileiro, onde foram comercializadas 9,94 milhões aparelhos celulares e feature phones, cerca de 1,24 milhão a menos do que o mesmo primeiro do ano anterior.

Desse total de aparelhos vendidos, 9.514.227 foram smartphones e apenas 432.968 foram feature phones. Em termos percentuais, as categorias tiveram redução de unidades vendidas, respectivamente, 10,6% e 19,32% no comparativo com o 1º trimestre de 2022.

Quando se trata de números da receita, nos três meses foram registrados cerca de R$ 15,2 bilhões, 32,8% abaixo do registrado em 2022 quando o ticket médio dos dispositivos estava maior e as vendas foram melhores. Segundo a consultoria, a faixa de preços dos aparelhos mais vendidos foi entre R$ 700 e R$ 999, representando 26% do total de vendas.

Embora tenha tido uma queda nas vendas de smartphones, o volume dos habilitados com 5G está crescendo rapidamente. No trimestre do ano, houve uma alta de 31% na venda de smartphones 5G em relação ao último trimestre de 2022. Andréia Chopra, analista de Pesquisa e Consultoria de Consumer Devices da IDC Brasil, explica o motivo desse crescimento.

“O consumidor tem demonstrado um maior interesse em adquirir um smartphone com 5G habilitado. Entendemos que o aumento da disponibilidade desses aparelhos no mercado contribui para uma maior competitividade de preço, deixando ainda mais atrativo ao consumidor os aparelhos com esse recurso”.

A analista afirma que o preço é o fator prioritário para o consumidor, mas as especiações também estão entrando no radar de considerações. “Para os consumidores que ainda não têm recursos para adquirir um smartphone, o feature phone segue como uma alternativa. Porém, observamos que esse mercado vem perdendo força a cada ano e deve se manter prioritariamente entre os consumidores que não se adaptaram ao smartphone ou que necessitam apenas das funções básicas do aparelho”, explica.

Os dados também apontam que houve uma queda no preço médio dos smartphones em 24,4%, em comparação ao primeiro trimestre de 2022. Os features phones passaram de R$ 151 para R$ 168, um aumento de 11,14%, enquanto os smartphones decaíram 24,9%, de R$ 2.116 para R$ 1.589.

“No final do ano passado observamos que os fabricantes passaram a apostar mais na venda de aparelhos acima de mil reais. Com a expectativa de que o consumidor não teria a mesma condição financeira no início de 2023, parte dos principais fabricantes optou por disponibilizar um maior volume de modelos mais baratos ou realizou promoções que contribuíram para uma redução no preço médio dos smartphones no período”, reflete a analista.

Projeções

A IDC Brasil projeta um resultado parecido para o segundo trimestre do ano. A analista também destaca que os smartphones 5G terão valores mais atrativos e serão prioridades dos consumidores, no segundo trimestre.

“O resultado dos três primeiros meses do ano ficou acima das nossas expectativas e isso pode ser um indício de que parte significativa dos consumidores está mais disposta a realizar a troca ou aquisição de um novo smartphone já no segundo trimestre”, explica Andréia.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários