29/02/2024

Vivo vai subir preços do pré-pago e espera servir de exemplo para outras teles

Segundo o presidente da Vivo, Christian Gebara, o preço da modalidade tem sido o mesmo há algum tempo; saiba detalhes.

De acordo com o presidente da Vivo, Christian Gebara, a operadora pretende recuperar a alta da inflação realizando aumento de preço em todos os seus planos, incluindo o pré-pago. A tele já vem fazendo mudanças desde o mês de abril, com reajustes em “quase metade da base híbrida, e mais da metade em pós-pago“, além da “maior parte de todos os produtos fixos baseados em fibra, como FTTH e IPTV“. Isso inclui o combo fixo-móvel Vivo Total.

A empresa espera que o mercado acompanhe a tendência. “O pré-pago também vamos aumentar para passar da inflação, e seria bom se o mercado nos seguisse assim, porque o preço do pré-pago tem sido o mesmo há algum tempo“, afirma Gebara.

Como justificativa para a mudança, o presidente da operadora diz que o mercado tem sido muito competitivo, e continua sendo mesmo com a saída da Oi Móvel. E, mais uma vez, há a necessidade de compensar a inflação.

“Por causa dos investimentos necessários, precisamos aumentar a receita e o lucro, e espero que sejamos seguidos pelo mercado”, reitera.

Gebara conta que a Vivo já concluiu a incorporação da base de clientes provinda da Oi, e que busca agora gerar renda com aqueles que ficaram, após o desligamento daqueles assuntos considerados inativos, explicando que dos 12 milhões originais, ficaram 9 milhões de clientes, sendo que a parte parte em pré-pago, embora alguns em híbrido.

O executivo conta que a Vivo tentará migrar esses clientes para o pós-pago, mas não há uma estratégia específica. “Teve muita migração antes mesmo da finalização da transação, e teve migração em outras regiões onde não recebemos geograficamente [na partilha]. A estratégia é a mesma: tentamos o upsell e migrar para híbrido ou para pós-pago, e adicionando serviços digitais”.

Entre as estratégias da operadora, segundo Gebara, está a combinação da cobertura da rede fixa com o móvel, oferecendo um comboio e aumentando assim a fidelidade do cliente. “Tem bom desempenho em churn e aumenta o valor de vida útil“, diz.

Por exemplo, a Vivo oferece diferentes planos nos quais estão incluídas as assinaturas de uma série de OTTs, como Netflix, Disney, Spotify, Globoplay, Paramount, Telecine, Premier, HBO Max, Tidal, entre outros streamings.

“Isso nos faz uma das principais empresas de telecomunicações do mundo em termos de parceria com provedores de conteúdo. Como vemos, é uma vantagem fundamental para manter nossos clientes fidelizados e satisfeitos com a completude de nosso portfólio”, argumentou.

Vivo e o 5G

20% dos nossos clientes já estão usufruindo do 5G da Vivo, segundo Gebara. Ele diz que o segmento tem mudado de maneira muito mais rápido do que aconteceu com 4G.

Atualmente, o 5G da operadora está disponível em 58 cidades do Brasil, sendo que em março, cobria 41% dos municípios com mais de 200 habitantes. A tele terminou o trimestre com 20% dos acessos pós-pagos no 5G, um aumento de 2 pontos percentuais na comparação com o quarto trimestre de 2022.

Quanto aos smartphones compatíveis com a rede, 68% dos aparelhos vendidos nas lojas da operadora são 5G. O preço de entrada desses handsets começa por R$ 1,3 mil.

“Não apenas nos permitiremos ser mais eficientes em termos de emprego de investimento, mas também criaremos espaço para mais consumo de dados, o que, por sua vez, servirá como um importante driver para o próprio produto e melhor monetização”, explicou o CEO.

11 COMENTÁRIOS

Se inscrever
Notificar de
guest
11 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários