19/06/2024

TIM renova contratos com Ericsson e Huawei como fornecedores de redes

Segundo a operadora, os contratos são semelhantes aos já realizados três anos atrás, mas foram atualizados.

A TIM renovou os contratos com a Huawei e a Ericsson para o fornecimento de equipamentos e serviços relacionados às redes móveis 4G e 5G em todo o Brasil. No contrato, a fabricante chinesa ficará responsável por toda a área do sul do país, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Nordeste, enquanto que a Ericsson ficará com São Paulo, Centro Oeste e Norte.

De forma geral, pelos termos do contrato, as empresas vão fornecer sistemas das redes móveis para a operadora. O tempo de validade dos acordos não foi revelado. A TIM já tinha contratado as empresas há três anos atrás para implantar o 4G, que também teve aditivo referente ao 5G a partir da realização do leilão de espectro pela Anatel em novembro de 2021.

“Queremos aproveitar o máximo da implantação single RAN para reduzir o número de fornecedores e ganhar mais velocidade e simplificação na rede”, informou o CTIO da TIM Brasil, Leonardo Capdeville, em coletiva de imprensa realizada após a divulgação dos resultados do primeiro semestre, nesta terça-feira (09).

Capdeville explica que os os contratos atuais são semelhantes, mas com atualizações. “Ambas as empresas seguem com um market share bem próximo [da nossa rede]. O objetivo dessas contratações é aproveitar ao máximo a sinergia que existe na implantação single RAN e ganharmos mais velocidade na implantação. Em resumo, a gente simplifica a rede e ganha mais velocidade [na construção]”.

Foco no serviço móvel 5G

Durante a coletiva, o CEO da TIM, Alberto Griselli falou sobre o foco da operadora agora, afirmando que não há, no momento, planos para adquirir nenhum provedor de internet, sendo que o foco atual é o mobile. Ou seja, ampliar a rede móvel 5G com o objetivo de tratar clientes de maior valor, no pós-pago.

Ele também falou sobre o mercado de fibra óptica no país, afirmando que a tendência é que ISPs maiores consolidem os menores, e conforme ganhem massa, passarão a ser opção de compra dos grupos multinacionais interessados em consolidação. Mas ele diz, que ainda levará um tempo.

Quando as operadoras vão consolidar ISPs, não dá para falar. Estamos neste momento implementando o modelo asset light junto a V.tal e I-Systems, pois é o que atende nosso apetite. Não estamos com plano de consolidar, estamos com foco em ‘pure mobile’, e a fibra é uma opcionalidade para nós”, disse Griselli.

Ele menciona também o contrato de uso de rede neutra para venda de banda larga fixa no país todo com a I-Systems, da qual é sócia, e com a V.tal, cuja rede é utilizada nas cidades onde não há presença da I-Systems.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários