16/07/2024

Disney+ reporta perda de milhões de assinantes no 1º trimestre de 2023

Mesmo com o declínio de usuários, Robert Iger, CEO da Disney, afirma estar satisfeito com as realizações da empresa no trimestre.

Ao divulgar seus resultados financeiros referente ao primeiro trimestre do ano, a Walt Disney Company reportou uma perda de 4 milhões de assinantes no Disney+. A maior queda (8%) de usuários são da variante Hotstar, versão do streaming na Índia que representa quase um terço do total global de clientes da plataforma. A empresa também registrou uma queda (-1%) na América do Norte.

O declínio no serviço de streaming na Índia é resultado da perda da empresa, ano passado, dos direitos de transmissão do principal campeonato de críquete indiano, que leva muitos fãs do esporte a deixarem a plataforma. Mesmo com a queda, a empresa pôde observar um aumento anual de 13% na receita média de assinaturas devido suas opções mais caras de conteúdo.

Entretanto, a gigante do entretenimento, prevendo o declínio e sendo uma das big tech que realizam demissões em massa, iniciou uma série de ajustes e estratégias. Por exemplo, a unificação dos conteúdos do Hulu e do Disney+,o que também resultará no aumento dos preços das assinaturas. “A empresa planeja expandir suas ofertas de streaming até o final do ano com um novo aplicativo que combina Disney+ e Hulu“, disse o presidente-executivo Bob Iger.

O streaming Hulu não está disponível no Brasil. Ou seja, essa mudança acabará com as plataformas separadamente nos Estados Unidos. Inclusive, considerando o Canadá, a Walt Disney também teve uma perda de 300 mil usuários no primeiro trimestre de 2023.

Entretanto, fora do mercado norte-americano e do com suporte do Hotstar, o estúdio ganhou quase 1 milhão de assinantes. Atualmente, o Disney+ conta com 157,8 milhões de usuários. Além disso, conseguiu reduzir as perdas de streaming em 400 milhões de dólares em relação ao trimestre anterior,

“Estamos satisfeitos com nossas realizações neste trimestre, incluindo o melhor desempenho financeiro de nosso negócio de streaming, que reflete as mudanças estratégicas que estamos fazendo em toda a empresa para realinhar a Disney para crescimento e sucesso sustentados”, afirma Iger.

O aumento de preço e despesas de marketing reduzidas contribuíram para o desenho da plataforma de streaming, que encerrou o trimestre de janeiro a março com um prejuízo operacional de 659 milhões de dólares.

FonteTerra
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários