25/05/2024

‘Renda extra na Amazon’ é golpe; saiba como fugir desse problema

Fingindo trabalhar na Amazon, criminosos aplicam golpes prometendo trabalho comissionado na empresa de vendas.

A Suyane Araújo, uma estudante de psicologia de 21 anos, recebeu uma mensagem em seu celular oferecendo uma renda extra mensal de R$ 2,5 mil a R$ 8 mil. A proposta consistia em comprar e revender produtos em uma plataforma que simulava o site da Amazon, recebendo comissões em troca. Infelizmente, tudo não passou de um golpe e a jovem foi enganada. Agora, ela não consegue sacar o dinheiro acumulado e já perdeu um total de R$ 1.320.

Amazon

Ela relatou ter ficado muito mal e sem comer após o ocorrido. O assunto ainda a faz chorar e ela sente um grande vazio porque não sabe como se virar financeiramente no fim do mês. Apesar disso, ela sabe que precisa seguir em frente, mas se sente impotente diante da situação. 

“Fiquei muito mal, fiquei sem comer. O assunto ainda me faz chorar e você sente um vazio muito grande porque o fim do mês chega e não sei como me virar. Não posso ficar parada e agora preciso seguir a vida, mas é difícil. Me sinto impotente”.

Esse tipo de golpe é conhecido por diferentes nomes, como “golpe do meio período”, “golpe do falso emprego”, “golpe da falsa comissão” e “golpe da Amazon”.

Como funciona o golpe na Amazon 

O golpe começa quando um suposto recrutador de RH, geralmente usando o nome Amazon, entra em contato com a vítima em potencial. Isso pode acontecer através de uma mensagem direta ou adicionando a pessoa a um grupo no WhatsApp ou Telegram. Eles oferecem uma oportunidade de renda extra, onde a pessoa só precisa comprar e revender produtos.

Uma vez que a vítima se cadastrar, recebe acesso a uma plataforma que simula o site da Amazon. Para convencê-la, os golpistas enviam um bônus via pix para que possam fazer as primeiras compras. O valor deste bônus varia de R$ 20 a R$ 100 e pode ser sacado, aumentando ainda mais a confiança da vítima.

Os golpistas prometem que quanto mais tarefas a vítima cumprir, mais chances terá de ganhar dinheiro. No entanto, na realidade, os itens vendidos na plataforma são falsos e as vendas são simuladas, sem o conhecimento da vítima.

Para recuperar o dinheiro investido, a plataforma exige que a vítima compre produtos mais caros, acima de R$ 1 mil, criando assim uma bola de neve. Mesmo que a vítima compre esses produtos na esperança de vendê-los e cumprir a tarefa, os golpistas programam a plataforma para que nenhuma venda seja gerada, deixando a vítima sem dinheiro e presa em um esquema fraudulento.

Foi dessa forma que Suyane foi enganada e fez várias transações pelo Pix para a conta do suposto gerente de recursos humanos da Amazon. 

“Você paga por um produto e recebe uma comissão. Na primeira vez, funcionou bem e na segunda vez também. Na terceira vez, eles enviaram R$ 177 para minha conta. Eu reinvesti porque pensei que estava dando certo. A partir daí, tudo foi por água abaixo. É muito estranho que tudo isso aconteça dentro do próprio aplicativo”, disse a estudante.

Com o número do CPF do titular da conta bancária, ela fez um boletim de ocorrência na Polícia Civil de Santa Catarina e informou o banco. No entanto, não foi possível ter o dinheiro de volta pois as transferências já haviam sido feitas a terceiros.

Hoje a vítima tenta se reorganizar psicologicamente e financeiramente. Se mudou de estado e está estudando psicologia. 

Empresa confirma o crescimento do golpe no Brasil 

Em depoimento ao Uol, Fabiano Arroyo, líder de Recursos Humanos para a Operação da Amazon no Brasil, disse que eles estão cientes do que está acontecendo e explica que não existe esse tipo de recrutamento. 

“Reforçamos que não fazemos contato por SMS ou WhatsApp. Nossos processos são realizados através de nossos sites oficiais ou por empresas contratadas por nós”, declarou.

ViaUol

3 COMENTÁRIOS

Se inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários