18/07/2024

Hospital Albert Einstein inaugura laboratórios para pesquisas em 5G na saúde

Segundo a instituição, os espaços reúnem 'ferramentas de última geração para análises de soluções sob a ótica de custo e eficiência'.

O Hospital Albert Einstein inaugurou dois laboratórios para pesquisas em 5G na saúde, que poderão servir como validação para uso da tecnologia na área. Um deles está localizado no Centro de Ensino e Pesquisa Albert Einstein – Campus Cecília e Abram Szajman e outro na Eretz. bio, o ecossistema de inovação do Einstein.

De acordo com comunicado da instituição, os espaços reúnem “ferramentas de última geração para análises de soluções sob a ótica de custo e eficiência”. o presidente do Einstein, Sidney Klajner, diz que “Estamos criando os laboratórios para entender e comprovar o benefício e a segurança da utilização do 5G na área da saúde”.

“Por exemplo, se teremos a estabilidade adequada para operar um paciente remotamente, que problemas poderiam ocorrer e comprometer o procedimento, ou medidas de segurança que devem ser adotadas”, explica.

Klajner conta que a ideia é testar as aplicações de forma exaustiva, já que estão lidando com vidas e o funcionamento precisa ser 100% perfeito. É esperado que todos os casos de uso passem por análise de cerca de seis meses. “Algumas hipóteses, se concretizadas, poderão refletir melhorias imediatas em alguns casos de uso. [Já] outras ainda passarão por estudos mais elaborados por envolverem pacientes. Acreditamos que os resultados nos permitirão chegar a uma medicina ainda mais eficiente”, completou o presidente do Einstein.

Inicialmente, cinco aspectos serão foco nos testes realizados nos laboratórios, que envolvem os equipamentos para cirurgia digital, telementoria e educação cirúrgica, Uso em ambulância, Predição de Acidente Vascular Cerebral (AVC), Einstein Até Você e Aparelho de tomografia instalado em Unidade Móvel de Saúde da Mercedes-Benz.

Nesses casos serão analisados o uso do 5G em relação à velocidade e latência, conexão de devices e confiabilidade, capacidade da rede em apoio remoto de especialistas em emergências médicas e monitoramento dos veículos, predição de AVCs, utilizando imagens de ressonância magnética, usando também a inteligência artificial; e melhorias da tecnologia na qualidade vídeo durante teleconsultas.

Além disso, também serão testados com o 5G, se possível, a análise de exames diagnósticos em tempo real e como potencializar o uso de diversas ferramentas diagnósticas, como IoT (Internet das Coisas). Os equipamentos, neste caso, são da Tuinda Care e se é possível otimizar o envio assíncrono de exames, laudos, entre outros, bem como melhorar o streaming de vídeo durante teleconsultas.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários