5G será fator decisivo na relação entre China e Brasil

Impedir a participação da Huawei no leilão pode romper os laços comerciais com a China? Entenda.

Jair Bolsonaro (Flickr Palácio do Planalto)
Imagem: Jair Bolsonaro (Flickr Palácio do Planalto)

Como já era esperado, a decisão final sobre o 5G será o fator decisivo para a relação entre Brasil e China. Atualmente, os representantes do Governo Federal ponderam se devem ou não ceder à pressão realizada pelas autoridades americanas.

Os EUA querem impedir a participação da Huawei no leilão do 5G brasileiro. Nessa questão, continua o temor de que a empresa promova uma espécie de espionagem para o governo chinês.


Entretanto, o dilema se instaura pelo fato de a China ter se tornado a principal parceira comercial do Brasil, há uma década.

A relação entre as duas nações já esteve até mesmo comprometida graças às críticas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro em sua campanha para presidente, em 2018. No entanto, um encontro com o Xi Jinping, líder chinês, amenizou a situação.

Mas, a China não diz exatamente que a relação ficará comprometida, caso seja boicotada do leilão 5G.

Li Jinzhang, embaixador da China no Brasil, afirmou que a questão não é vencer ou não uma licitação. O que está em jogo é a capacidade do Brasil em criar regras de mercado e um ambiente com imparcialidade e sem discriminação.

VIU ISSO?

–> Oi escolhe cidade para ativar rede 5G; conheça

–> Laboratório de pesquisa 5G da Huawei pega fogo na China

–> Samsung Galaxy Note20 terá suporte para 5G DSS da Vivo

Para Jinzhang, o processo do 5G será fundamental para as empresas avaliarem a maturidade da maior economia da América Latina, especialmente as da China.

O diplomata se mostrou otimista e acredita em uma decisão racional por parte do Governo Federal.

Outro que pondera sobre o tema é Fábio Faria, ministro das Comunicações. Na visão dele, é preciso separar as áreas para que o país não tenha prejuízos, por causa da forte parceria comercial.

Com informações de Valor Econômico

COMPARTILHAR EM:

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais votado
mais novo mais antigo
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Helliton Soares Mesquita

Não romperá. O Brasil é o único país do mundo, que pode se dar ao luxo de romper qualquer parceria comercial. Porque só importa produtos de alta tecnologia e exporta recursos essenciais que nenhum país quer ficar sem.

Cidade - UF
Rondonópolis - MT