06/04/2024

Além da Vivo, Winity busca acordos com mais 10 empresas de telecom

Operadora do Grupo Pátria não fala sobre o assunto, mas esses acordos podem vir a público neste primeiro semestre de 2023.

Enquanto que a operação entre a Winity e a Vivo referente a proposta de RAn Sharing entre as duas empresas anunciadas em agosto de 2022 segue em análise nos órgãos competentes, a operadora do Grupo Pátria, que arrematou um dos lotes do leilão 5G, tem procurado oferecer sua infraestrutura de telecomunicações para outras companhias.

Além do contrato que pretende firmar com a Vivo, a Winity já possui memorandos de entendimento acordados com cerca de dez outras operadoras, incluindo grandes companhias, como a TIM e Claro, além de empresas regionais.

Entretanto, por se tratar de negociações privadas, a operadora não se pronunciou sobre o assunto. Conforme reportagem do Estadão, esses acordos podem vir a público neste primeiro semestre de 2023.

No caso da Vivo, o acordo entre as empresas prevê a instalação de 3,5 mil torres para cobrir 1,6 mil municípios, mas há um plano ambicioso de chegar a 19 mil torres. Hoje, cerca de 80% do território nacional não está coberto com a tecnologia 5G. O plano da empresa é, justamente, explorar o potencial de comunicação nessas áreas.

Posicionamento da Anatel

Nos próximos dias, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) deve decidir se a operação entre a Winity e a Vivo violam regras do leilão 5G. É esperado que até março, os cinco conselheiros da agência decidam se autorizam ou não o acordo.

Vale lembrar que a área técnica e a Procuradoria Federal Especializada da Anatel que analisou o caso, considerou a transação irregular e recomendou que não fosse autorizada. O caso também é avaliado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Em suas defesas, a Winity declarou que “trabalha para cumprir todas as obrigações estabelecidas no edital e que segue comprometida com a missão de construir infraestrutura de telecomunicações que levará conectividade a 55 mil quilômetros de rodovias e 625 localidades, beneficiando 6,2 milhões de pessoas nas regiões mais remotas do Brasil e 7,8 milhões de veículos que, diariamente, trafegam pelas rodovias federais sem cobertura“.

Enquanto que a Vivo afirmou estar segura de que a operação tem total aderência às regras do edital e à regulamentação vigente.

FonteSuno
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários