14/04/2024

2023 é um bom ano para investir na Vivo; veja avaliação dos especialistas

Últimas notícias que a Telefônica, dona da Vivo, soltou sobre a companhia, fez surgir o questionamento se vale a pena investir na operadora.

O momento atual pode ser muito bom para investir na Vivo (VIVT3). Com as últimas notícias divulgadas na semana passada sobre a operadora, em relação ao seu último balanço do trimestre e o pedido de redução de capital social, quem acompanha o mercado financeiro deve ter ficado animado. Confira na matéria o motivo e se é realmente válida a animação. 

Investimento

A Telefônica Brasil, dona da Vivo, divulgou na quarta-feira passada, 15, o balanço do quarto trimestre de 2022 e em seguida comunicou ao mercado o pedido de redução de capital social em até R$ 5 bilhões. Resta a Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações, responder se permite ou não. 

Mas de que forma essas notícias animam quem deseja investir na Vivo? 

Em primeiro lugar a operadora divulgou bons números sobre o final de 2022, mostra que ela mantém a sua postura de empresa confiável no mercado. Mas muito mais que isso, caso a Anatel aprove redução de capital social, os R$ 5 bilhões podem retornar para os acionistas em forma de dividendos. 

Os analistas da Empiricus Research afirmam que a redução de capital e o pagamento de dividendos pode acontecer entre esse ano e o próximo. Além disso, a mudança pode aumentar em até 3,7 pontos percentuais o  dividend yield da companhia em 2023.

Sem contar que a Vivo aprovou o pagamento de R$ 106 milhões em Juros sobre o Capital Próprio, o que equivale a R$ 0,06 por ação. 

E outra pergunta surge: a Vivo será uma das maiores pagadoras de dividendos do ano?

Segundo os analistas da Empiricus Research, a empresa é uma “vaca leiteira clássica”. Isso significa dizer que ela tem um bom histórico em pagar bons dividendos ao longo dos últimos anos. 

É importante acrescentar também, em verdade adicionar um lembrete, de que a operadora é uma das líderes no nicho de mercado que atua. Trabalha nos diversos segmentos que a telecomunicação oferece: rede de fibra, 5G, telefonia fixa e móvel e TV a cabo. E consegue manter alta competitividade em todos esses serviços. 

Em 2022, a Vivo conseguiu distribuir R$ 4 bilhões em dividendos para os acionistas. Isso representa um dividend yield de 8,9%. 

Nem tudo são flores 

Os analistas destacam que as expectativas de crescimento a curto prazo da VIVT3 são pequenas. Isso por ela já ser uma companhia grande e bem estabelecida no mercado.

A Vivo já é dona de 40% do mercado e vem mantendo essa porção nos últimos anos sem grandes mudanças. Ou seja, a companhia pode der dificuldades para continuar aumentando o caixa.

Para ter crescimento de receita, a Vivo tem investido na tecnologia para fazer corte de custos. Além disso, tem diminuído a taxa de endividamento. Embora a aquisição de 12 milhões de clientes da Oi possa atrapalhar esse processo. 

Mas apesar desses últimos fatores, a Vivo deve turbinar os dividendos nos próximos anos. Sendo assim, a companhia tem potencial para seguir crescendo, lucrando e pagando bons dividendos. 

Portanto, a recomendação dos especialistas é de que é um momento para investir da Vivo, levando em consideração todos os pontos avaliados acima.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários