19/04/2024

Brasil é o país latino-americano mais afetado por malwares para Android

Entre as detecções mais comuns estão ransomwares, trojans bancários e trojans de acesso remoto (RATs), segundo dados da ESET.

De acordo com dados divulgados pela ESET durante o 7º Fórum ESET de Segurança Cibernética, que aconteceu nos dias 25 e 26 de outubro, o Brasil é o país da América Latina mais atingido por malwares direcionados a dispositivos com Android, com 28,7% das detecções. Entre os mais comuns estão ransomwares, trojans bancários e trojans de acesso remoto (RATs).

Em seguida, vem o México, com 27,3%, e Peru, com 8,9% das detecções de ameaças por malwares. Completam o ranking Argentina (7,9%) e Colômbia (6,1%). Segundo Daniel Barbosa, pesquisador de segurança da empresa, os dispositivos Android são mais afetados por causa da adesão ao trabalho remoto, entre outras coisas. Por causa do modelo de home office, a maioria das companhias liberou o uso dos dispositivos pessoais dos funcionários para a realização de atividades corporativas.

Além disso, o sistema operacional é o mais utilizado pelos usuários para dispositivos móveis. O OS está presente em 71,5% do mercado, segundo dados da Statcounter em setembro de 2022. Pelo foco no sistema do Google, os criminosos aumentam as chances de fazer mais vítimas.

Na América Latina, as ameaças aos dispositivos com Android virou uma tendência, sendo que no segundo quadrimestre deste ano, houve um aumento de 9,5% nas detecções no continente em relação ao período anterior. Os aplicativos ocultos são os mais nocivos, pois eles ocultam seus próprios ícones e começam a emitir anúncios na tela do celular, sem a permissão do usuário.

Segundo o pesquisador de segurança digital da ESET Miguel Mendoza, o aumento nas detecções está diretamente relacionado ao fácil acesso a kits de desenvolvimento de software (SDK) em fóruns online. Desses dados, o spyware (109%) teve o maior crescimento, cuja funcionalidade é espionar as atividades dos usuários no celular.

A melhor maneira de se proteger desses aplicativos maliciosos é evitar fazer download de apps que não estão dentro da loja de app oficial do smartphone. Ou seja, dar preferência para aplicativos dentro da Play Store. É importante também manter o Android atualizado e ter um bom antivírus instalado.

Além disso, evitar sempre clicar em links suspeitos. Por exemplo, links que são enviados pelo WhatsApp ou por e-mail. Geralmente, esses links vem com algum tipo de informação ou benefícios, por isso antes de clicar, verifique se aquela mensagem realmente é verídica pesquisando a marca ou empresa.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários