13/04/2024

5G e Oi Móvel afetam custos e investimentos da TIM no 3T22

Operadora divulgou seu balanço financeiro referente ao terceiro trimestre do ano, onde obteve um lucro de R$ 473 milhões; saiba mais.

Na noite desta segunda-feira (07), a TIM divulgou seu resultado financeiro do terceiro trimestre deste ano, onde registrou um lucro de R$ 473 milhões, tendo um quadro de estabilidade em relação ao mesmo período do ano anterior, onde teve lucro de R$ 474 milhões.

A receita da companhia totalizou R$ 5.611 milhões no período, representando um crescimento de 24,4% na comparação ano a ano. De acordo coma empresa, todas as principais linha contribui para esse resultado: Receita de Serviços Móveis (+25,8%), Receita de Serviço Fixo (+8,4%), tendo como destaque a permanece da TIM Live (+12,2%), e Receita de Aparelho (12,9%). Nos 9 meses do ano, a Receita líquida total expandiu 18,5% A/A.

Entretanto, também houve aumento nos custos da TIM, que chegou a R$ 2,9 milhões no terceiro trimestre do ano, um aumento de +24,3%. De acordo com a companhia, esse aumento foi causado pelos índices inflacionários, assim como pelos custos adicionais da operação da compra da Oi Móvel e pela despesa de aluguel da I-Systems.

O EBITDA Normalizado do 3T22 obteve um crescimento de 24,5% A/A, totalizando R$ 2.697 milhões, sendo a Receita de Serviços o principal motor desta performance. A Margem EBITDA Normalizada ficou em 48,1%, se mantendo assim em estabilidade em relação ao mesmo período de 2021, mesmo com os impactos da I-Systems e do TSA.

Os investimentos (Capex) somaram R$ 978 milhões, alta de 9% na comparação ano a ano. No entanto, a empresa explica que era esperado um crescimento nesse elemento em relação ao ano anterior, devido aos custos de integração só clientes da Oi Móvel, assim como a implementação do 5G.

Segmento móvel e fixo

Ao final do 3T22, a TIM totalizou 68,8 milhões de acessos móveis que, com o adicional dos clientes vindos da Oi Móvel, registrou aumento de 33,3% A/A, atingindo um market share de 26,6%.

A base pós-paga reportou 29,7 milhões de acessos no 3T22 (+32,6% A/A), com a inclusão de acessos migrados da Oi Móvel. O mix do segmento na base total foi de 43%, mantendo-se estável no comparativo anual. Já o pós-pago humano (ex-M2M) registrou, ao final do trimestre, uma base de 24,9 milhões acessos (+36,4% A/A), considerando a inclusão dos acessos vindos da Oi Móvel.

A base de M2M atingiu 4,7 milhões acessos no 3T22, alta de 15,5% no comparativo anual, sendo impactada também pelos novos clientes recebidos da Oi. Com a inclusão dos novos clientes vindos da Oi Móvel, a base pré-paga fechou com 39,1 milhões de acessos ao final do 3T22, um aumento de 33,9% A/A.

A receita do Serviço Fixo totalizou R$ 311 milhões no 3T22, um aumento de 8,4% sobre o terceiro trimestre de 2021 (R$ 287 milhões). A TIM Live, principal linha de receita do fixo, reportou evolução de 12,2%, reflexo, diz a empresa, das estratégias de: migração da base de FTTC para o FTTH; e oferta de serviços de mais alto valor – em setembro, 73% dos clientes da base estavam em planos acima de 100 Mbps.

ViaTIM
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários