24/05/2022

Como a Marvel colocou mensagens secretas via QR Codes dentro de ‘Moon Knight’

Assinantes do Disney+ começaram a reparar a novidade.

Desde que a série “Moon Knight” da Marvel Studios estreou no Disney+, em 30 de março, os espectadores atentos notaram uma série de códigos QR no fundo das cenas do primeiro, segundo e quinto episódios do programa. A digitalização dos códigos envia os espectadores a um site especial que contém um quadrinho semanal gratuito da Web com o personagem Cavaleiro da Lua durante a execução do programa, desde sua primeira aparição em 1975 até sua edição mais recente em 2019.

disney
Foto: Reprodução Internet

É uma maneira inteligente de expandir o conhecimento de quadrinhos dos espectadores para um personagem que até os fãs sérios da Marvel podem nunca ter lido, e tem sido um grande sucesso: de acordo com a Disney, a página de destino foi visitada mais de 1,5 milhão de vezes, levando a mais de 500.000 quadrinhos completos. lido até hoje.

Então, como a Marvel Studios decidiu fazer isso?

“A primeira semente dessa ideia vem com meu fascínio por ‘Bob’s Burgers’”, diz o produtor executivo de “Moon Knight” Grant Curtis em sua primeira entrevista sobre o esforço.

Curtis adorou como “Bob’s Burgers” constantemente engajava os espectadores com suas piadas em constante mudança nos créditos de abertura e encerramento e com o hambúrguer da semana, e ele queria trazer um tipo semelhante de interatividade para “Moon Knight”. Ele também sabia que, como a primeira série do MCU que não apresenta nenhum personagem legado, ele queria ajudar a educar os espectadores sobre a história dos quadrinhos do Cavaleiro da Lua.

Então ele se lembrou de visitar o museu “House of Terror” em Budapeste e de como os visitantes podiam usar seus telefones para escanear códigos QR para ler legendas em inglês ou aprender mais sobre o que estavam vendo.

Em “Moon Knight”, o personagem de Steven Grant (Oscar Isaac) trabalha em um museu em Londres, e no episódio 2, ele entra em um armário que já tinha códigos QR impressos em todas as portas. De repente, tudo se encaixou.

“Se incorporamos códigos QR organicamente no ambiente – e se não o tornamos enigmático, e se não exageramos – você pode inserir isso perfeitamente”, diz Curtis.

Depois de apresentar com sucesso a ideia ao chefe da Marvel Studios, Kevin Feige, e aos executivos Louis D’Esposito, Victoria Alonso e Brad Winderbaum, Curtis trabalhou com a equipe de pós-produção para inserir códigos QR ao vivo nos planos de fundo das cenas do programa via CGI. Como eles só queriam colocar os códigos onde os encontrariam naturalmente, a produção pulou os episódios três, quatro e seis, que são em grande parte ambientados em exteriores distantes ou dentro de ruínas e catacumbas antigas, onde os códigos QR se destacam como um truque.

A edição de quadrinhos de cada semana tinha algum tipo de conexão com o episódio daquela semana, seja um personagem ou uma referência visual, mas Curtis adverte os leitores a não procurarem muito em outros significados ocultos. Ou seja, a aparição de Kang, o Conquistador no sexto e último quadrinho de “Moon Knight” não pretende sugerir que Oscar Isaac possa se encontrar com a versão de Jonathan Majors de Kang, que deve ser o vilão de 2023. Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania.”

“Acho que foi recebido com muita positividade, sabe, em termos dos números que estamos vendo”, diz ele. “E contanto que você possa fazer isso organicamente, acho que é uma maneira muito legal de estender o engajamento e ir da tela para a página e vice-versa. Como o cara que gosta do envolvimento que ‘Bob’s Burgers’ me dá, acho que pode ser um aspecto muito interessante para o MCU explorar no futuro.”

Carolina Veneroso
Carolina Veneroso
Jornalista, formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua como repórter, redatora e com produção de conteúdo há 5 anos. Apaixonada por entrevistar e conhecer pessoas e novas histórias.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários