InícioTV por AssinaturaFilmes em cartaz terão lançamento antecipado no streaming

Filmes em cartaz terão lançamento antecipado no streaming

Com salas de cinema fechadas, estúdios poderão lucrar com as plataformas digitais.

Filme Aves de Rapina
Imagem: Reprodução Warner Bros.

De fato, muitas companhias querem facilitar o acesso ao entretenimento, afinal, nada melhor do que uma distração para motivar que as pessoas permaneçam em casa e se protejam da pandemia do Covid-19.

Primeiro, TVs por assinatura da Claro, Oi, Vivo e SKY liberaram diversos canais para todos assinantes, independente do pacote contratado.


Agora, chegou a vez das plataformas digitais serem favorecidas. Filmes que estavam nos cinemas e acabaram prejudicados por conta do fechamento dos estabelecimentos terão lançamento antecipado nas plataformas digitais.

A Universal Pictures, da Comcast, será a primeira na iniciativa. Com estreia prevista para o dia 10 de abril, a animação “Trolls World Tour” terá lançamento simultâneo nos cinemas e plataformas digitais.

Já lançamentos recentes como “O Homem Invisível”, “A Caçada” e “Emma” estarão disponíveis até o dia 20 de março em aplicativos de vídeo sob demanda. Nos Estados Unidos, o preço sugerido é de US$ 19,99 para locação de 48 horas.

VIU ISSO?

–> Depois de Oi TV e Claro, SKY anuncia sinal aberto de 74 canais

–> Vivo TV abre sinal de 100 canais por conta do coronavírus

–> Peacock: conheça o streaming da NBCUniversal

Por aqui, lançamentos tem custo estimado entre R$ 29,90 e R$ 16,90, resta saber se as operadoras de TV paga e outras plataformas não vão elevar o preço por se tratar de obras que acabaram de sair dos cinemas, sem o intervalo habitual de 90 dias até ser lançado no digital.

Outra que vai aderir a prática é a Warner Bros., da AT&T. “Aves de Rapina”, que reúne personagens como Arlequina e Canário Negro, teve lançamento antecipado no digital.

O filme ainda está em cartaz em algumas redes, mas nas plataformas digitais deve chegar no dia 24 de março. A pré-venda já está aberta nos Estados Unidos.

São boas alternativas para que os estúdios recuperem parte do prejuízo que terão com o adiamento de diversas produções, assim como o rombo que deve ficar na bilheteria dos filmes que estavam em exibição nos cinemas.

Entretanto, é importante destacar que as produções devem ir para serviços de venda como Google Play Filmes, SKY Play, Oi Play, entre outras. Não para plataformas de assinatura mensal como a Netflix.

Com informações de Metro e Deadline

Anderson Guimarães
Jornalista com seis anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop. E-mail: [email protected]
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários