Roku fatura o dobro da Netflix por usuário e aposta no Brasil

Foco é na América Latina e na Europa.

Com o consumo de streaming de vídeo em ascensão em todo o mundo e a empresa pronta para mais ganhos de participação de TV inteligente, a Roku está posicionada para se beneficiar do crescimento internacional acelerado, destacou o analista do Guggenheim Michael Morris em um relatório, aumentando sua meta de preço de ações da empresa ao $10.

As ações da Roku caíram acentuadamente em 2021, em meio a preocupações dos investidores com o crescimento de receita e contas mais fraco do que o esperado, após um salto em 2020 em meio à pandemia de COVID, que impulsionou o uso de streaming.

Enquanto alguns em Wall Street entraram em 2022 vendo o Roku como uma boa escolha, o preço de suas ações continuou caindo em meio a uma pressão mais ampla sobre ações de tecnologia e preocupações específicas da empresa. O Roku caiu de seu fechamento de 2021 de US$236,20 para US$125,27 no fechamento do mercado de quinta-feira, mas subiu um pouco mais no início das negociações de sexta-feira.

No início do ano, Morris havia reduzido sua meta de ações da Roku de US$210 para US$ 135 nos últimos ganhos e previsões da administração, que incluíam mais gastos do que os especialistas esperavam. “Embora entendamos uma frustração mais ampla com uma falta de orientação e gastos acima do previsto em 2022, acreditamos que a empresa opera um ativo valioso com um crescimento secular significativo e oportunidades de receita incrementais”, escreveu ele na época.

Agora, Morris aumentou sua meta nas ações da Roku, que ele classifica como uma “compra”, para US$145, divulgando que a “monetização internacional da empresa (está) pronta para acelerar”. Observando dados de varejistas on-line nas principais TVs inteligentes, Morris também explicou: “A maioria dos pontos de dados mostra que a posição da Roku TV está melhorando, principalmente nos mercados latino-americanos”, acrescentando que a empresa “está no início do desenvolvimento dos mercados americanos”.

O analista destacou que aproximadamente 93% dos lares de televisão do mundo, 61% das vendas de publicidade na TV e 60% do total de vendas de publicidade estão fora dos Estados Unidos, segundo a S&P-Kagan. “Acreditamos que o Roku está estruturado para fortes ganhos de participação internacional de longo prazo, com participação de mercado atual do sistema operacional e contribuição de receita nos estágios iniciais”, concluiu Morris.

Afinal, com lançamentos contínuos em todo o mundo, a base internacional de contas ativas da Roku no exterior deve se expandir ainda mais. “Atualmente, estimamos que o mix do Roku seja 88%/12% doméstico/internacional, com a maior parte das contas internacionais no Canadá (2,7%), Reino Unido (3,4%) e México (3,0%)”, escreveu o especialista do Guggenheim. . “Esperamos que o mix de contas seja significativamente mais alto nos mercados (internacionais), principalmente na América Latina e na Europa, à medida que o Roku continua a escalar ativamente essas regiões de TV.”

Morris também vê oportunidades além da América Latina e da Europa. “A longo prazo, vemos a Ásia-Pacífico como uma oportunidade atraente, considerando mais de 400 milhões de remessas de smart TV previstas em 2026 pela S&P Kagan e o crescimento secular geral na adoção de TV conectada.”

As projeções do especialista do Guggenheim para 2026 indicam que o Roku terá 68,2% de suas contas ativas nos EUA, com o México respondendo por 5,8%, a Alemanha chegando a 4,8%, o Brasil com 4,1%, o Reino Unido com 3,4% e o Canadá com 3,0%.

Em seu último relatório, Morris também abordou como sua nova meta de preço de US$145 se compara à gigante do streaming Netflix, observando que “representa um desconto de cerca de 13% no múltiplo de mercado da Netflix, dada a maior penetração de membros da Netflix versus o crescimento da conta ativa do Roku”.

Carolina Veneroso
Carolina Veneroso
Jornalista, formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua como repórter, redatora e com produção de conteúdo há 5 anos. Apaixonada por entrevistar e conhecer pessoas e novas histórias.

1 COMENTÁRIO

Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
1
0
O que você acha? Comente!x