06/07/2022

Reajuste dos combustíveis está afetando o setor de telecomunicações, segundo Feninfra

Segundo a presidente da entidade, a elevação de custos das empresas de telecom podem ser repassada para os clientes; entenda.

Nas últimas semanas, os brasileiros têm se deparado com o reajuste dos combustíveis. Embora não afete diretamente algumas pessoas, esse aumento de preço reflete também no valor de outros produtos e serviços, que consequentemente afetará o consumidor final.

De acordo com a Federação Nacional de Call Center, Instalação e Manutenção de Infraestrutura de Redes de Telecomunicações e de Informática (Feninfra), a alta dos combustíveis está afetando o mercado de telecomunicações, com o argumento de que está havendo aumentos nos custos e causando prejuízos.

Segundo Vivien Mello Suruagy, presidente da Feninfra, o reajuste dos combustíveis estão causando a geração no aumento de custos e dificultando os negócios das empresas, que dependem de veículos para atender os clientes. Ela afirma que muitas companhias e profissionais precisam dos seus veículos rodando para fazer atendimento, e com a alta dos combustíveis, está ocorrendo aumentos expressivos de custos.

“São custos que não podem ser repassados automaticamente para os clientes, ou seja, se transformam em prejuízo”, ressalta ela.

Ainda de acordo com a presidente da Feninfra, o projeto da CEP, Conta de Estabilização de Preços de Combustíveis, pode ajudar, no futuro, a minimizar os aumentos de custos provocados pelo reajuste de combustíveis, “mas é necessário que a contenção dos preços realmente chegue nas bombas para beneficiar os quem está tendo prejuízos com os reajustes sucessivos dos combustíveis“.

O CEP se trata de um fundo criado por um Projeto de Lei aprovado na semana passada no plenário do Senado, que será usado para estabilizar os preços da gasolina, do diesel e do gás no país. Além disso, o PL nº 1.472 ainda cria um auxílio-gasolina para profissionais que trabalham com transportes, como motoboys, taxistas, motoristas de aplicativos e condutores de pequenas embarcações. Agora, a proposta segue para votação na Câmara.

O Projeto de Lei propõe que os valores de produtos derivados do petróleo (diesel, gasolina e GLP) sejam calculados com referência nas cotações médias no mercado internacional, nos custos internos de produção e nos custos de importação.

Em outras palavras, o fundo será usado para amenizar os preços dos combustíveis quando houver aceleração das altas, podendo ser abastecido por recursos que serão recolhidos quando os preços variáveis estiverem abaixo da margem determinada.

Cleane Lima
Cleane Lima
Jornalista, Comunicóloga, Repórter e Redatora há mais de 3 anos, com experiência na produção e revisão de conteúdo para internet. Adora escrever sobre qualquer assunto. "Palavras são, na minha humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia". Alvo Dumbledore.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
0 Comentários
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
0
O que você acha? Comente!x