06/07/2022

Netflix pode arrecadar US$ 1,6 bilhão por ano cobrando taxas extras de usuários

Empresa começou a cobrar de quem compartilha contas.

Recentemente, a Netflix anunciou que começou a testar em alguns países o pagamento de um valor extra aos assinantes. Segundo a plataforma, usuários que compartilham senhas com pessoas fora de suas casas, estariam violando seus termos de uso e precisariam pagar taxa adicional para continuar assistindo. O plano, se implementado com sucesso globalmente, pode adicionar US$ 1,6 bilhão (cerca de 7,61 bilhões de reais) ao faturamento da Netflix, de acordo com uma nova análise do Wall Street.

netflix
Foto: Reprodução Internet

Na semana passada, a Netflix disse que estava lançando um teste em três países da América Latina (Chile, Costa Rica e Peru) para cobrar o compartilhamento de senhas. Os clientes poderão adicionar até duas contas de Membro Extra por cerca de US$ 2 a US$ 3/mês cada, além de sua taxa mensal normal.

De acordo com estimativas dos analistas da Cowen & Co., se a Netflix lançar o programa globalmente, poderá adicionar um incremento de US$ 1,6 bilhão em receita global anualmente, ou cerca de 4% de alta em relação à projeção de receita da empresa em 2023 de US$ 38,8 bilhões.

A estimativa da empresa pressupõe que cerca de metade das famílias de compartilhamento de senhas da Netflix não pagantes se tornarão membros pagantes; além disso, o modelo prevê que desses, cerca de metade optará por se inscrever em sua própria conta paga separada.

“Acreditamos que os esforços recentes da Netflix refletem uma progressão natural em mercados mais maduros e podem adicionar subs incrementais e [receita] se o teste for lançado globalmente”, escreveu a equipe Cowen, liderada pelo analista sênior de pesquisa John Blackledge, na nota.

De acordo com a pesquisa, cerca de 10% dos 116 milhões de lares de banda larga dos Estados Unidos incluem alguém que assiste à Netflix, mas não é assinante pagante. A empresa reconheceu que parte desse compartilhamento “provavelmente está ocorrendo na mesma casa da família e/ou entre colegas de quarto”, o que cumpriria os termos da Netflix.

Cowen mantém uma classificação de “desempenho superior” nas ações da Netflix com um preço-alvo de 12 meses de US$ 600/ação.

Enquanto isso, outros analistas do Wall Street estão menos otimistas com a decisão da Netflix de monetizar os aproveitadores de senhas. O analista da Benchmark Co., Matthew Harrigan, em uma nota na semana passada, expressou ceticismo de que seria uma “mudança de jogo de crescimento”, opinando que a estratégia “canibaliza o crescimento total de membros”. Ele calculou o aumento incremental da receita em menos de 4% da receita, mesmo com suposições generosas sobre quantos piggybackers a Netflix poderia converter em contas Extra Member.

À medida que o crescimento geral de assinantes da Netflix desacelerou, principalmente em mercados maduros como os EUA, o streamer procura monetizar o compartilhamento de senhas após anos tolerando – e até comemorando – a prática.

Em um tweet de 2017 que recentemente voltou a circular no Twitter, a principal conta da Netflix postou: “O amor é compartilhar uma senha”

Carolina Veneroso
Carolina Veneroso
Jornalista, formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atua como repórter, redatora e com produção de conteúdo há 5 anos. Apaixonada por entrevistar e conhecer pessoas e novas histórias.

1 COMENTÁRIO

Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
1
0
O que você acha? Comente!x