InícioMarketingSikêra Jr. ironiza perda do patrocínio da TIM, após fala homofóbica

Sikêra Jr. ironiza perda do patrocínio da TIM, após fala homofóbica

‘Sai telefonia A, vem telefonia B. Operadoras são pelo menos seis no Brasil’, afirmou o apresentador.

Sikêra Jr. ironiza perda do patrocínio da TIM, após fala homofóbica

O apresentador Sikêra Jr., do programa “Alerta Nacional”, ironizou a perda de patrocinadores após ter chamado a comunidade LGBT+ de “raça desgraçada”.

Durante o programa da última terça-feira, 29 de junho, ele chegou a pedir desculpas publicamente, falando que se excedeu, mas reforçou que a opinião dele “continua a mesma”.


Ainda no mesmo dia, ele minimizou a perda de anunciantes, dizendo que existe uma “fila de espera” de empresas interessadas no programa, e que é comum na rádio e na TV que marcas abandonem programas.

“As marcas que continuam anunciando aqui apoiam minha forma de pensar, de opinar, muito obrigado pela confiança”, disse Sikêra Jr.

VEJA TAMBÉM:

–> Ludmilla se pronuncia após fala homofóbica de Sikêra Jr.

–> TIM passa a fazer parte de grupo de empresas que apoiam direitos LGBTI+

–> TIM anuncia teclado para celular que combate a homofobia

Entre as empresas que deixaram de patrocinar o programa após a fala homofóbica está a operadora TIM, que acaba de receber um prêmio internacional por incentivar a diversidade e a inclusão.

A TIM alegou que não compactua com programas que disseminam notícias falsas e discursos de ódio.

Porém, o apresentador ironizou a retirada de patrocínio da operadora.

“A vida continua, eu tenho que seguir. Sai telefonia A, vem telefonia B. Operadoras são pelo menos seis no Brasil”, afirmou.

Mesmo assim, ele disse que as portas estão abertas para as empresas que cancelaram anúncios e que elas serão muito bem-vindas.

Além da perda de patrocinadores, o Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação civil pública contra o apresentador pela prática de homofobia.

A indenização solicitada é de R$ 10 milhões pelo comentário homofóbico.

Vale lembrar que, desde 2019, declarações de homofobia e de transfobia podem ser enquadrados no crime de racismo, com pena prevista de um a três anos de prisão, podendo chegar a cinco anos nos casos mais graves.

Com informações de Estado de Minas.

Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 9 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

9 COMENTÁRIOS

Acompanhar esta matéria
Notificação de
9 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários