Leilão do 5G poderá sofrer atraso e acabar ficando para julho

Proposta do edital da Anatel foi entregue na última sexta-feira (19) ao Tribunal de Contas da União.

Leilão do 5G poderá sofrer atraso e acabar ficando para julho

Em entrevista ao portal do Governo Federal, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou que o leilão do 5G no Brasil deverá ocorrer em junho ou em julho, no máximo.

Nos últimos meses, Faria tem afirmado que a realização do leilão ocorreria ainda no primeiro semestre de 2021.

Entretanto, o processo de concorrência poderá sofrer um atraso de alguns dias e acabar sendo realizado em julho.

Na última sexta-feira, 19 de março, a proposta de edital para o leilão – aprovado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em 25 de fevereiro passado – foi entregue ao Tribunal de Contas da União (TCU).

VIU ISSO?

–> TCU recebe os estudos de leilão do 5G

–> Ericsson inaugura a primeira linha de produção 5G do Brasil e da América Latina

–> Presidente da Anatel diz que operadoras podem implantar o 5G não-standalone

Geralmente, a análise da corte de contas de um processo do tipo tem um prazo legal de 150 dias.

Porém, os ministros do TCU prometeram ao Ministério das Comunicações agilizar o processo e aprovar o edital do leilão em até 60 dias.

Após o crivo do TCU, a proposta volta para a Anatel para adequações, algo que pode demorar cerca de 40 dias.

Ou seja, se esses prazos forem cumpridos à risca o edital estará pronto para o leilão no dia 27 de junho de 2021.

“Estamos falando em 100, 120 dias. Em junho, julho no máximo, nós estaremos realizando o leilão de 5G no Brasil”, disse o ministro das Comunicações.

Na entrevista, Fábio Faria também voltou a reforçar que o 5G puro (standalone) – ou seja, sem utilizar as infraestruturas existentes do 4G ou 3G – estará disponível nas 27 capitais do Brasil até junho de 2022.

Ele também listou os benefícios da nova tecnologia, como o uso de carros sem motoristas, cirurgias a distância, aumento da conectividade no campo, entre outros.

Faria vê as empresas e a indústria como as principais beneficiadas da chegada do 5G.

“O 4G veio para as pessoas. E o 5G não. Ele veio para mudar a vida das indústrias. Vai ser uma revolução nas indústrias. Nós teremos as empresas tendo um alto ganho de produtividade. Toda a cadeia de produção das empresas irá se comunicar”, explicou o ministro.

Com informações de Ministério das Comunicações.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários