Oi faz novos esclarecimentos sobre divisão da companhia

Divulgação de uma nova estratégia gerou inúmeras especulações a respeito do futuro da marca; veja o que foi explicado.

Logotipo da Oi
Imagem: Logotipo da Oi

No mercado de telecomunicações, a Oi (OIBR3 / OIBR4) é o grande destaque da semana. Tudo por conta da divulgação dos seus resultados trimestrais, que chegaram na companhia dos novos planos da operadora, estruturados na divisão da empresa em quatro unidades.

A proposta é incluída no plano de aditamento da recuperação judicial e segrega a prestadora em quatro partes: ativos móveis, torres, data center e InfraCo. Enquanto as três primeiras unidades são colocadas à venda, a última, que concentra ativos de infraestrutura e fibra da marca, representa o futuro da Oi.


Porém, um processo competitivo deve ofertar 51% das ações ordinárias da unidade, uma participação que deve representar entre 25,5% e 51% do capital da empresa.

Sobre a unidade, há o seguinte esclarecimento:

“A Oi está em processo de estruturação da SPE InfraCo, cujo capital será composto de ações ordinárias e preferencias, até o limite de 50% do capital composto por ações preferenciais.”

De acordo com o comunicado mais recente, a transferência do controle da InfraCo será concedida mediante parcela secundária mínima de R$ 6,5 bilhões, liquidação da dívida extraconcursal de R$ 2,4 bilhões em até três meses e outras obrigações.

VIU ISSO?

–> 1T20: Oi cresce na fibra óptica, mas segue com prejuízo e queda

–> Oi oferece atendimento para professores da rede pública

–> Oi Fibra amplia presença e mira liderança de mercado no Ceará

Segundo a Oi, é uma garantia que se dará por meio de um aporte de capital em até R$ 5 bilhões.

“Essa garantia deverá se dar através de um aporte de capital de até R$5 bi no momento do fechamento da operação e/ou da obrigação do investidor em fazer aportes adicionais na companhia tempestivamente entre o fechamento e 2024 (e limitados à diferença entre o valor aportado e o valor de R$ 5 bilhões) caso a companhia não seja capaz de cumprir com as obrigações pactuadas”, declara.

O novo esclarecimento da operadora foi enviado nesta quarta-feira, 17 de junho e assinado pela Diretora de Finanças e Relações com Investidores, Camille Loyo Faria.

A SKY tem o plano ideal para a sua TV! Aproveite já com 50% de desconto no primeiro mês. Ligue 0800 123 2040.

COMPARTILHAR EM:

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.
Acompanhar esta matéria
Notificação de
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Comentários embutidos
Exibir todos os comentários
Eduardo Mariano

Se a venda for concretizada, abas “Combo” e “Móvel” devem desaparecer do site da OI.
Imagina o desgaste que será com os clientes de maior poder aquisitivo da operadora quando tiver que descontinuar os Combos (TV + Banda Larga+ Fixo + Celular) e ter os serviços totalmente desvinculados.

Já com relação ao móvel, se a ideia era vender esses ativos porque então continuam investindo no 4,5G e não priorizam apenas a fibra ?

Cidade - UF
PB
Cláudio Coutinho

Enquanto a Oi Móvel não é vendida ela tem que seguir o que combinou na Recuperação Judicial, além da fibra investir na móvel. Inclusive ainda é obrigada, por causa da concessão, a investir em cobre telefonia fixa que quem tem?? Mais uma aberração do governo, lente, burocrático e moroso…mas estou bastante confiante na Nova Oi!!!

Cidade - UF
Arapiraca AL