TIM cobrava débito de cliente que já morreu

Operadora foi condenada a pagar indenização por dano moral.

O 2º Juizado Especial Cível de Brasília condenou a TIM a pagar uma indenização de R$ 1.500 por emitir faturas para uma cliente já falecida, mesmo após um parente solicitar o cancelamento dos serviços.

O filho da ex-cliente afirmou que a mãe havia falecido em 23 de maio de 2017 e o pedido de cancelamento do contrato com a TIM foi feito 1 mês depois. O autor da ação disse que mesmo após realizar o pagamento dos débitos até a data que cancelou o serviço, a operadora continuou a emitir cobranças.


A TIM realizou o efetivo cancelamento do contrato apenas 7 meses depois da morte da consumidora, em dezembro de 2017.

“O serviço prestado pela ré foi demasiadamente moroso e deficitário, gerando prejuízos indenizáveis ao autor, que sofreu constrangimentos advindos das insistentes cobranças geradas de forma ilegítima”, afirmou a juíza do caso.

VIU ISSO?

–> Justiça decide que operadoras devem notificar alterações em planos

–> TIM não cumpre oferta e leva processo

–> Número de endividados com as operadoras diminui

Em sua defesa, a operadora limitou-se a dizer que não fez nenhum ato ilícito, pois o contrato foi devidamente cancelado.

A TIM ainda pode entrar com um recurso.

Com informações de Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios.

About Hemerson Brandão
Jornalista, gestor e produtor de conteúdo. São 8 anos trabalhando com blogs, revistas, agências e clientes corporativos. Apaixonado por ciência, tecnologia e exploração espacial.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, FAÇA LOGIN para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de