Prestadora de serviços da Oi demite em massa

Depois de afetar a Liq Participações (antiga Contax), crise da operadora pode ter feito mais uma vítima.

Divulgação Serede
Imagem: Divulgação Serede

A Serede, conhecida pela instalação de redes, DTH, telefonia, FTTH, ADSL e outras, promoveu 700 demissões no Rio de Janeiro. A área mais afetada foi a de manutenção em redes de telecomunicações.

Prestadora de serviços para a Oi, a empresa, muito provavelmente, é mais uma vítima da crise que a prestadora enfrenta. Em dezembro de 2019, a Liq Participações (antiga Contax) também começou a sentir os efeitos e entrou com um pedido de recuperação extrajudicial.


O cenário promete agravar ainda mais, já que também estão previstas demissões em outros estados.

Trabalhadores com menos de dois meses de atuação na empresa foram incluídos nos cortes. Muitos deles se comprometeram com o financiamento de veículos por exigência da companhia no ato de contratação, para a realização do trabalho.

VIU ISSO?

–> STF favorece recuperação judicial da Oi

–> Antiga Contax foi vítima de crise da Oi

–> Associações de telecom apoiam reforma trabalhista de Temer

As demissões em massa não são novidade nos corredores da Serede. Só em 2019, cerca de 1.000 funcionários foram demitidos. O Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações (Sinttel-Rio) chegou até mesmo a enviar uma notificação para a Serede e Oi.

“Pedimos a suspensão imediata da dispensa coletiva e agendamento de reunião. Estamos estudando medidas jurídicas cabíveis para preservar os postos de trabalho”, comentou Francisco Izidoro, diretor do Sinttel-Rio.

Entretanto, a reforma trabalhista de 2017 (Governo de Michel Temer) alterou a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Com isso, a exigência de negociação prévia com sindicatos para as dispensas coletivas não é mais exigida.

O site da Serede informa que a empresa está presente em mais de 3.300 municípios no país. Em um ano, a marca foi responsável por implantar sete mil quilômetros de fibra ótica.

Para a Oi, foi feita uma manutenção de rede em mais de 128 mil quilômetros.

Com informações de O Cafezinho

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

3
Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
o mais novo mais antigo mais votado
Notificação de
Helliton Soares Mesquita
Colaborador

Normal, essas coisas precisam acontecer pra ter adaptações no mercado. Quem porém financiou veiculo por obrigação da empresa deve ter seu dinheiro restituído. Não precisa ser todo o dinheiro do veiculo, apenas o ágio por se desfazer dele.

Cidade - UF
Rondonópolis - MT
Renata Viana Silva
Colaborador
Renata Viana Silva

A forma de trabalhar esta mudando…
call centers vao acabar, a forma de atender o cliente esta mudando.
Nem tudo é culpa da Oi.
Sei nao… que tem a ver a Oi com as demissoes?

Cidade - UF
Anapolis GO
Vilmar Carvalho de Souza
Colaborador
Vilmar Carvalho de Souza

A OI TA CHEIA DE PROCESSOS TRABALHISTA E EM FAZE DE RECUPERACAO TAO DANDO MITACHANCE MUITA CHANCE PRA ELA OS EXELENTISSIMOS JUIZES TEM QUE PEGAR MAIS PESADO TA MUITO FOLGADA

Cidade - UF
PR