Roteadores 4G apresentam vulnerabilidades preocupantes

Pesquisador alerta que o risco de uma invasão hacker é iminente, pois várias fabricantes apresentam fragilidades exploráveis.

Ilustração roteador
Imagem: Pixabay

Está difícil ter segurança para as informações na web? Pode ser que sim. A novidade agora é que um pesquisador analisou roteadores 4G e descobriu uma série de vulnerabilidades que podem comprometer a segurança das redes.

Aparelhos de diversas fabricantes apresentam falhas que podem ocasionar na exposição de dados e vazamento de informações pessoais. A divulgação foi feita pelo especialista conhecido como Richter, do Pen Test Partners.


As brechas encontradas nos dispositivos com a tecnologia 4G foram compartilhadas na conferência de hackers DEF COM. Na ocasião, o participante do evento confirmou que fragilidades críticas foram encontradas em uma vasta seleção de dispositivos, dos mais diversos fornecedores.

O mais alarmante de tudo é que as falhas foram encontradas em um conjunto abrangente de equipamentos 4G. Curiosamente, os dispositivos mais caros também foram examinados e todos eles apresentaram as vulnerabilidades.

VIU ISSO?
Um em cada quatro roteadores é vulnerável a ataques de hackers
Falha de segurança é encontrada em roteadores da Vivo
Golpe: Hackers usam falsas vagas de emprego para roubar dados do Facebook

Portanto, é um sinal de alerta para as grandes companhias. Afinal, os equipamentos mais caros são aqueles que acabam destinados ao uso em grandes redes corporativas.

Na explicação, Richter afirma que são fragilidades exploráveis e permitem uma invasão hacker para coleta de dados pessoais e sensíveis dos usuários que fazem o uso da rede.

Eles ficam vulneráveis e os invasores conseguem colocar códigos infectados no roteador. Assim, basta visitar um site infectado e começar a sentir os efeitos de um ataque. O criminoso pode até mesmo assumir o controle total de uma rede.

Entre as marcas que mais apresentaram vulnerabilidades, destacam-se: ZTE, Netgear e TP-Link. Outras empresas não ficaram de fora, apesar das três serem mencionadas. As falhas foram relatadas aos fornecedores, que corrigiram o problema antes da publicação do estudo.

Com informações do Olhar Digital

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de