Netflix precisa batalhar para se manter em alta, diz especialista

Apesar de promissor, mercado de streaming já apresenta um notório desgaste com a acirrada concorrência.

Logomarca da Netflix
Imagem: Divulgação Netflix

Prestes a completar 22 anos de existência, a Netflix tem desafios pela frente. De acordo com o analista de mercado Celso Fortes, especialista no desenvolvimento de tecnologias online, a gigante do streaming precisa inovar para continuar a conquista de novos clientes e acionistas.

O motivo seria a forte concorrência do já desgastado mercado de VOD. Só nos Estados Unidos, empresas como Disney, Time Warner, NBCUniversal e Apple anunciaram plataformas próprias de streaming.


Além das novidades, há também serviços como Hulu, Amazon Prime Vídeo, BBC, Hotstar e Facebook Watch, que competem diretamente. Todos prometem expansão e parceria com os novos que estão para surgir no mercado.

No Brasil, muitas dessas plataformas podem demorar para chegar, mas já são muitas opções disponíveis. Entre elas: Globoplay, Amazon Prime Vídeo, Looke, Telecine Play, HBO Go e outros.

Obviamente, nem todos conseguem bater de frente com a Netflix, que mensalmente apresenta séries com forte apelo no mundo do entretenimento, além de um acervo recheado de produções originais.

Mas a concorrência que está para surgir é promissora. A Disney, por exemplo, criará novas histórias de franquias já consagradas como Star Wars e Vingadores, da Marvel. Sucessos que figuram entre as maiores bilheterias de todos os tempos nos cinemas.

VIU ISSO?
Netflix terá plano mais barato para uso só em smartphones
NET utiliza hit de MC Loma para divulgar parceria com a Netflix
Novo TIM Black Família inclui assinatura da Netflix

A Warner promete a entrega de clássicos como Friends, sucesso de audiência que deixará a Netflix, além de novas produções comandadas por cineastas aclamados de Hollywood.

Já a Apple escalou um time de estrelas como Reese Whitherspoon, Jennifer Aniston, Octavia Spencer e Jason Momoa para estrelarem e produzirem suas produções originais.

De acordo com a análise de mercado, a Netflix terá que fazer produções tão interessante quanto as da concorrência para continuar na atração de investidores, novos assinantes e manter sua base atual.

“O modelo de negócios da Netflix é baseado na capacidade de prender a atenção dos consumidores dentro da plataforma. Ainda assim, com a chegada desses novos serviços de peso como a Disney e a Apple, a Netflix terá que competir fortemente na capacidade de entrega e atração de grandes produtos. A Disney, por exemplo, trará séries derivadas do universo Marvel, como o arrasa quarteirões dos Vingadores e outros heróis. A Netflix terá que mostrar cacife para contar histórias tão atraentes quanto essas que já contam com o aval do grande público e do mercado”, prevê Celso Fortes.

Entretanto, a pioneira no mercado de streaming tem cartas na manga. Uma delas é a contratação de grandes nomes do mercado para produções exclusivas.

As primeiras foram os aclamados Ryan Murphy e Shonda Rhimes. Ele responsável por sucessos como Glee, American Horror Story, American Crime Story, Pose, Feud e 9-1-1. Já a segunda citada, criou a série Scandal e o drama médico Grey’s Anatomy, sucesso de maratonas na Netflix.

Outra novidade divulgada nos últimos dias foi o contrato exclusivo de David Benioff e D.B Weiss com a Netflix. Os roteiristas que estiveram por trás da adaptação de Game of Thrones para a HBO.

A gigante do streaming também já anuncia parcerias com marcas como Fortnite, Coca-Cola, Nike e Burger King. Será que virão novidades interessante para os assinantes ou é apenas uma forma de lucrar com publicidade? O futuro dirá. Nas cenas da nova temporada de Stranger Things, por exemplo, já é possível observar a marca do Burger King em exposição.

“Por ser a marca mais antiga desse mercado, certamente a Netflix lançará mão de cartas na manga para seguir mantendo uma audiência ampla e acostumada com ela. Contudo, será uma batalha de formatos que trará muitas inovações e novas histórias para o público consumir. Toda concorrência é bem-vinda e quem tende a ganhar é o usuário que poderá escolher as melhores opções para si”, conclui Celso Fortes.

Com informações do Oficina da Net

About Anderson Guimarães
Jornalista com cinco anos de experiência em produção de conteúdo digital. Passagens por eventos nacionais, mídias sociais e agências de publicidade. Apaixonado por tecnologia e cultura pop.

1
Deixe um comentário

avatar
1 Número de Comentários
0 Número de Respostas
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário com mais interação
1 Autores de comentários
Christopher Christopher Autores recentes de comentários
  Cadastre-se  
o mais novo mais antigo mais votado
Notificação de
Christopher
Colaborador

Ela precisa é parar de cancelar séries boas. Acaba que pago caro e nao assisto o que eu quero, sendo essas, produções da propria netflix.

Cidade - UF
Goias