Telefonia fixa tem queda de 2,7 milhões de linhas em 12 meses

A maior redução no período foi registrada pela Oi, com menos 1,17 milhão de linhas.

O serviço de telefonia fixa deixou de ser prestado em 2,69 milhões de domicílios nos últimos 12 meses, o que representa uma queda de 6,88%. No total, 36,36 milhões de residências brasileiras possuíam telefone fixo em abril deste ano, de acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). 

A maior queda nos últimos 12 meses foi registrada pela Oi, com menos 1,17 milhão de linhas (-9,33%), seguida pela Vivo, que apresentou redução de 1,08 milhão de linhas (-8,05%). A Claro, por sua vez, registrou menos 660,46 mil linhas (-6,12%). Em abril, a Vivo totalizou 12,29 milhões de domicílios atendidos com linhas fixas (33,8% do mercado), a Oi, 11,36 milhões (31,24%) e a Claro, 10,12 milhões (27,84%). 


Procurada pela reportagem, a Oi esclareceu, por meio de seu assessoria de imprensa, que o seu desempenho no segmento de telefonia fixa reflete um movimento do mercado como um todo, uma vez que o perfil de consumo vem mudando ao longo do tempo, com a preferência por serviços de acesso à internet em alta velocidade e a conteúdo a qualquer hora e em qualquer lugar. “No segmento residencial, a Oi foca sua estratégia na expansão da sua rede fibra ótica até a casa do cliente (FTTH) e acaba de dobrar a oferta da banda larga Oi Fibra em seis meses, chegando a 60 municípios atendidos”, finaliza a nota.

PPPs AVANÇAM

As únicas que registraram crescimento em abril foram as Prestadoras de Pequeno Porte (PPPs), com aumento de 16,93 mil domicílios na telefonia fixa (+1,04%). PPP é uma empresa que detém menos de 5% de cada mercado de varejo de telecomunicações em que atua.

VIU ISSO?
Homem é preso em Sorocaba por usar linhas telefônicas em nome do ator Domingos Montagner
Secretaria da saúde contrata Oi para serviços de telefonia fixa
Confira as novas obrigações do plano de metas da telefonia fixa

Na variação de março para abril de 2019, o serviço de telefonia fixa deixou de ser prestado em 147,73 mil residências (-0,40%). Enquanto os grandes grupos de telecomunicações apresentaram uma redução total de 170,15 mil linhas fixas (-0,49%), as PPPs tiveram um acréscimo de 22,42 mil (+1,39%).

CONCESSÕES E AUTORIZAÇÕES

Nos domicílios brasileiros, a telefonia fixa prestada em regime público (concessões) apresentou redução de 1,96 milhão de linhas (-8,88%) em doze meses. Nesse período, a diminuição das linhas fixas em regime privado (autorizadas) foi de 707,5 mil unidades (-4,27%). Entre março e abril de 2019, a redução foi de 88,76 mil domicílios (-0,44%) para a prestação em regime público e de menos 68,89 mil (-0,43%) no regime privado.

About Redação Minha Operadora
Um dos principais sites de notícias sobre o setor de telecomunicações do Brasil e do mundo. Mais de 10 mil artigos publicados com cerca de 1 milhão de páginas lidas todos os meses.

Deixe um comentário

Por favor, faça login para comentar
  Acompanhar esta matéria  
Notificação de