Retirada de orelhões vem dando o que falar

Em São Paulo, o recolhimento dos equipamentos tem gerado transtornos inclusive no ir e vir da população.

poste orelhao SP
Reprodução TV Globo

A retirada dos orelhões, terminais telefônicos de uso público, vem dando o que falar Brasil a fora. Se já não bastasse a falta que esses equipamentos fazem à população pelas ruas do país, a sua retirada vem gerando transtornos no ir e vir das pessoas em São Paulo.

Segundo matéria publicada pelo Bom Dia São Paulo, da TV Globo, a empresa responsável pelos orelhões na cidade mais populosa do Brasil tem retirado os equipamentos de forma parcial, deixando para traz o poste de sustentação da estrutura e os fios soltos.


VIU ISSO?
PGMU redireciona investimentos com manutenção de orelhões para 4G
Anatel prorroga gratuidade em ligações de orelhões em 11 estados
Oi tem recurso negado e precisa instalar orelhão em aldeia indígena

A prática além de representar um sério risco de acidentes, vem impedindo a boa mobilidade dos paulistanos pelas calçadas, especialmente àquelas pessoas com deficiência visual ou que usam cadeiras de rodas para se locomoverem.

A retirada dos orelhões foi autorizada pela Anatel desde o final do ano passado, por meio da publicação de um decreto. A agência trocou a obrigatoriedade das concessionárias de telefonia investirem nos equipamentos em vias públicas por cobertura 4G em cerca de 1,5 mil cidades carentes ou isoladas no país.

Para alguns especialistas do setor, a medida é uma adequação e reflete o comportamento dos brasileiros que estão cada vez mais conectados pelo celular, seja por voz ou por dados. No entanto ainda é grande o número de pessoas que discordam por vários motivos.

No caso de São Paulo, a empresa responsável pelos orelhões é a Vivo. E em nota enviada a produção do telejornal por ocasião da referida matéria, declarou que “em casos pontuais a retirada dos orelhões pode ocorrer em etapas devido a necessidade de procedimento para recompor o local onde o aparelho estava instalado”.

About Bruno Ribeiro
Jornalista com atuação regionalizada há mais de 10 anos em assessoria de imprensa para o setor de Telecomunicações. Com passagem por Agência de Comunicação, Jornais e TV da região nordeste.

9
DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, FAÇA LOGIN para comentar
6 Número de Comentários
3 Número de Respostas
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Comentário com mais interação
8 Autores de comentários
marcelo ruiz lucasFernando GonçalvesRodrigoFabianeWelington Vitor da Silva Carvalho Carvalho Autores recentes de comentários
  Acompanhar esta matéria  
o mais novo mais antigo mais votado
Notificação de
Carlos
Colaborador

Os orelhões serão retirados, mas duvido que instalem o 4G em cidades isoladas.

Fabio Vargas
Colaborador

Me poupe sobre esse comentário de retirada de orelhões na cidade de São Paulo bem como em outras capitais…me diga que em grandes e pequenas cidades utiliza orelhão…o dinheiro que e gasto com manutenção desse orelhões e melhor retirar e investir em fibra óptica e no 4G…até um cidadão que puxar carroça pra reciclar lixo tem celular.

Rogerio Pires
Colaborador
Rogerio Pires

Pensei a mesma coisa amigo!!! Como assim: “Se já não bastasse a falta que esses equipamentos fazem à população pelas ruas do país…”. Hora, se vc. parar alguém na rua e perguntar onde se compra “cartão telefônico” duvido que alguém saiba! Se a matéria fosse sobre uma cidade nos rincões do interior do Piauí, Maranhão, ou em uma tribo indígena no Amazonas (eu até concordaria), mas em SP!?!?! Tem que investir, muito e rápido em 4G; melhorar a latência do serviço 4,5G e instalar torres de celular.

Welington Vitor da Silva Carvalho Carvalho
Visitante
Welington Vitor da Silva Carvalho Carvalho

Eu trabalho com isso tô fazendo a retirada dos orelhão da cidade de São José dos Campos .eu também não uso mais tanto emprego que isso gera vcs não pensam nos pais de família que depende disso já tem muito desemprego já e vai ter mais ei instalador de linha vcs não pensão neles nos cabista nos ligadores de central nos mesário vcs pensão só na Fibra nas melhorias de vcs pra isso tem que ter funcionários pra isso pra levar pra suas casa a internet vcs aja que a vivo vai melhorar a internet pra vcs estão inganado

marcelo ruiz lucas
Visitante
marcelo ruiz lucas

opa amigao me liga [SUPRIMIDO]

Cidade - UF
Diadema
marcelo ruiz lucas
Visitante
marcelo ruiz lucas

Por favor me envie um email no [SUPRIMIDO]

Cidade - UF
Diadema
Fabiane
Visitante
Fabiane

Isso mesmo Wellington, sou fabricante dos monofones e ficamos na mão da noite para o dia, não tivemos tempo hábil para nos adequar, 4 funcionárias sem receber até hoje os seus direitos. Mas a população só pensa nelas mesmos, Não imagina qtos desempregos e qtos ainda vão ter qd retirar os orelhões.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

População mimizenta do caramba viu! Se o orelhão estivesse ali ainda, nem estariam reclamando! Se o “poste” está “atrapalhando” o ir e vir do cidadão, é sinal que ele está fazendo outra coisa que não seja andar e prestar atenção a sua frente (olhando/enviando mensagem no celular)!!! Quem viu a matéria no BDSP como é o meu caso, viu cada desculpa esfarrapada pela falta de atenção do cidadão!! Só concordo da reclamação de deixar os fios soltos ao relento. Poderiam ao menos enrolar e deixar preso ao poste de energia.

Fernando Goncalves
Colaborador

Leio nas mídias Nacional e Regionais o ganho que será para a Sociedade a retirada dos orelhões das calçadas de nossas Cidades em troca de investimentos em Tecnologia 4G em cidades onde o sinal de INTERNET é escasso. Ora, invistam em 4G em cidades onde é preciso mas não acabem com o Sistema de Telefonia Fixa, a começar pelos orelhões, pois, num rápido exercício econômico fica evidente que é muito mais interessante para o Consumidor pagar R$ 0,06/min de ligação originada de orelhão que os quase R$ 2,00/min no Celular. E não digam que há alguma segurança de preço nas… Leia mais »