19/06/2024

Redução de imposto de importação para smartphones é criticada

Para Abinee, redução do imposto, anunciada por Bolsonaro, pode extinguir mais de 100 mil empregos.

smartphone-e1560873086473.jpg

O anúncio feito no último domingo (16) pelo presidente Jair Bolsonaro, em sua conta oficial no Twitter, de que o imposto de importação de eletrônicos, inclusive de smartphones, poderão cair de 16% para 4%, recebeu críticas do presidente da Abinee, Humberto Barbato.

De acordo com o dirigente da associação do setor de eletrônicos, retirar o imposto dos produtos importados, mas manter a cobrança das mesmas alíquotas praticadas hoje sobre insumos usados na indústria prejudicaria a competitividade das empresas estabelecidas no País.

VIU ISSO?
Governo intervém para travar importação de celulares
Produtos importados passam a receber taxa de homologação da Anatel
Fabricantes são condenados por formação de cartel

Na semana passada, o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, já havia antecipado a possibilidade de corte de alíquota durante discurso em evento.

IGUALDADE DE CONDIÇÕES

Em nota, a Abinee defendeu que o governo garante igualdade de condições no setor. “A indústria não se nega a enfrentar uma concorrência maior com os produtos importados por conta da redução da tarifa, mas defende que esse tema deve ser tratado com total transparência e de forma negociada com a indústria”, diz o documento.

Somente no setor de tecnologia da informação e comunicações (TICs) seriam extintos mais de 100 mil empregos diretos com a redução do imposto de importação para eletrônicos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) citados pela Abinee.

3 COMENTÁRIOS

Se inscrever
Notificar de
guest
3 Comentários
Mais antigo
Mais recente Mais Votados
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários