domingo, 16 de setembro de 2018

Embratel comemora hoje 53 anos; relembre os marcos da operadora

O que você achou? 
“Faz o 21”, Ana Paula Arósio, transmissão de imagem em cores, ligações DDD e DDI fazem parte da história da operadora, que hoje integra o grupo Claro S.A.

Neste domingo, 16 de setembro, a Embratel completa 53 anos de existência. A operadora hoje é conhecida por oferecer principalmente soluções de mobilidade e TI para empresas, mas ao longo de sua trajetória teve bastante importância no setor de telecomunicações e aos consumidores como um todo.

Você sabia, por exemplo, que a operadora foi a primeira a realizar uma transmissão comercial de TV via satélite? Foi ela que transmitiu imagens do homem pisando na lua, a Copa do Mundo de 1970 e a primeira imagem em cores no Brasil. 




Na área de telefonia, a Embratel também teve seu marco histórico, já que foi ela, por exemplo, que deu início à Discagem Direta Internacional (DDI). Em banda larga, colocou em operação o primeiro trecho da Rede Nacional de Fibras Ópticas, em 1993.

E quem não se lembra dos meninos do DDD? Vestidos em roupas coloridas, as crianças de sete a 8 anos, de 1998 a 2000, apareciam na tela para chamar atenção do consumidor de telecom. Diferentemente de hoje, na época o cliente valorizava muito as possibilidades de ligações, inclusive do fixo, de longa distância via Embratel. Vale lembrar que, em junho de 2017, a Embratel “ressuscitou” os trigêmeos do DDD, como eram conhecidos.





Outro comercial bastante popular, em 2004, era o que trazia a atriz Ana Paula Arósio, garota-propaganda da operadora, junto com uma mini sósia, a atriz Rafaela Romolo, de 4 anos.






Em todas as campanhas, o “Faz um 21” foi o slogan mais conhecido da operadora.

Em 2011, as operadoras Claro, NET e Embratel, de propriedade do mexicano Carlos Slim, se uniram para oferecer um único pacote de telecomunicações, o Combo Multi.

Foi oficialmente em 2015 que a Claro S.A. incorporou as empresas Embratel e NET e passou a ser uma companhia aberta. Para garantir que estavam reunidas em um mesmo grupo, no ano passado, um comercial foi até divulgado para reforçar a fusão entre as três e a força que trariam com a integração na comunicação.


E para celebrar, a Embratel divulgou um vídeo nesta semana para comemorar a sua presença no Brasil nesses 53 anos:


Em mais de cinco décadas, claramente houve mais acontecimentos que marcaram a trajetória da operadora. E para que você não fique por fora de nenhum deles, separamos os principais marcos da Embratel em uma linha do tempo – com informações consultadas também no site da operadora.

Para facilitar a visualização das maiores conquistas, em negrito você verá os destaques mencionados pela Embratel no vídeo. Veja abaixo a evolução da operadora nos últimos 53 anos:

1965: Empresa é criada em 16 de setembro.

1967: Instala, em 22 de dezembro, a Estação Terrena de Comunicações por Satélite, localizada em Tanguá, no Rio de Janeiro.

1969: Realiza a primeira transmissão comercial de televisão via satélite, o lançamento da nave Apolo IX, em 3 de março. Em 16 de julho, veio a imagem de um homem pisando na lua, o que marcou a história da Embratel e dos brasileiros.

1970: Realiza a transmissão ao vivo da Copa do Mundo, quando o Brasil conquistou o tricampeonato mundial de futebol, no México.

1972: Realiza a primeira transmissão de TV em cores no Brasil, a Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS).

1975: Inicia a Discagem Direta Internacional (DDI), ligando definitivamente o Brasil a outros países.

1978: Inaugura a nova Rede Nacional de Estações Costeiras (RENEC), com objetivo de prestar o Serviço Móvel Marítimo (SMM), que permite a comunicação, via rádio, entre uma pessoa em terra e outra que esteja a bordo de uma embarcação, em qualquer parte do mundo.

1980: Lança no Brasil o primeiro serviço exclusivo de comunicação de dados da América do Sul, o Transdata, inicialmente interligando Rio-São Paulo-Brasília e com capacidade para 4.042 circuitos de baixa velocidade.

1984: Ativa a Rede Nacional de Comunicação de Dados por Comutação de Pacotes (RENPAC), oferecendo ligações comutadas e admitindo variedade de equipamentos, protocolos e velocidades.

1985: Coloca em órbita o satélite Brasilsat A1, impulsionando a revolução digital e as comunicações domésticas.

1986: Lança o satélite Brasilsat A2 para complementar o sistema de telecomunicações via satélite.

1988: Quando a TV com som estéreo digital toma impulso no Brasil, os maiores eventos esportivos nacionais e internacionais são transmitidos "via Embratel", como as Olimpíadas.

1993: Entra em operação o primeiro trecho da Rede Nacional de Fibras Ópticas, interligando Rio de Janeiro e São Paulo.

1994: Lança o Serviço Internet Comercial, em caráter experimental e com conexão internacional de 256 Kbps. Cinco mil usuários foram escolhidos para testar o serviço. 

1995: É lançado o satélite Brasilsat B2, para atender a expansão das operadoras de telefonia fixa e celular em todo o Brasil. Com o primeiro serviço de comunicação de dados da América do Sul, expande a tecnologia para o continente.

1996: Quando há a crescente digitalização das redes, novas redes de telefonia e a chegada da internet no Brasil. Aumenta a capacidade do Renpac e o rádio digital se expande. A migração de cabos submarinos analógicos para fibra óptica criou, neste momento, um novo padrão que ligou o Brasil ao mundo.

1997: Ampliou sua rede de 4 para 22 centros de roteamento, e sua capacidade de atender os clientes também aumenta, com uma velocidade de transmissão de até 4 Mbps. A comunicação com o exterior passou de 29 Mbps para 76 Mbps, abrangendo conexões com Argentina, Canadá, Estados Unidos e Uruguai, através de cabos submarinos de fibras ópticas e satélite.

1998: Lançamento do satélite Brasilsat B3 para atender, em especial, empresas de TV por assinatura. Sua posição atendia mais de 60 canais de TV digitais, distribuídos para as prestadoras de serviço de TV a cabo e DTH no Brasil.

1999: Chegada da internet via Embratel, quando interliga o núcleo de seu backbone internet com os principais centros de roteamento, como os do Rio de Janeiro, de Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Campinas, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre.

2000: O satélite Brasilsat B4 foi lançado para atendimento a variadas aplicações via satélite, como distribuição de vídeo, backbone de telefonia fixa e celular e construção de redes corporativas. Ali, atendia mais de 60 canais de TV digitais, distribuídos para as prestadoras de serviço de TV a cabo e DTH no Brasil. Segundo a Embratel, atualmente, 90% das prestadoras de serviço de TV por assinatura no Brasil possuem antenas apontadas para o Brasilsat B4.

LEIA TAMBÉM:

2001: Inaugura em maio o Centro de Referência Tecnológico, uma iniciativa pioneira na América Latina.

2002: Surge o novo logotipo da empresa, e a Embratel comunica oficialmente, na Futurecom 2002, a entrada nos serviços locais de telefonia fixa.


2003: Com investimentos constantes, a empresa se considerava pioneira em Redes IP MPLS, que ofereciam facilidade e segurança no mundo corporativo.

2004: Em 23 de julho, a Teléfonos de México S.A (Telmex) adquire o controle acionário da Embratel Participações S.A.

2005: Aquisição da PrymeSys Soluções Empresariais, líder nacional na operação de redes administrativas.

2007: É lançada a 3ª geração de satélites de comunicação da Embratel, o Satélite Star One C1. O novo satélite substituiu o Brasilsat B2 e oferecia quase o dobro da potência do anterior, assegurando a cobertura no Brasil e garantindo a ampliação e internacionalização da cobertura para as Américas do Sul e Central, além da Flórida (EUA).

2008: Embratel lança a Via Embratel, sua TV por assinatura via satélite. Vale destacar que futuramente, em 2012, o serviço passou a se chamar Claro TV.

Em 2008 também é colocado em órbita o satélite Star One C2, segundo satélite da nova geração, denominada Série C. Junto com o Star One C1, faz parte da terceira geração de satélites o Embratel Star One. Os novos satélites asseguram a continuidade dos serviços de telefonia, televisão, rádio, transmissão de dados e internet no Brasil. Neste momento, a Embratel também foi pioneira no lançamento da tecnologia WIMAX para o segmento empresarial.

2009: Com a chegada da portabilidade numérica, a Embratel liderou entre as operadoras fixas. A empresa foi escolhida por mais de 40% dos clientes de telefonia fixa que optaram pela troca de operadora com manutenção do número de seus telefones. Em 2009 também anunciou o patrocínio oficial à candidatura da cidade do Rio de Janeiro como sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

2011: Em outubro, NET, Claro e Embratel lançam o Combo Multi, um plano de integração de serviços pioneiro no mercado brasileiro de telecomunicações. Foi o primeiro lançamento conjunto das três empresas. Em 2011, o consórcio formado pela Embratel e Claro foi escolhido como patrocinador nacional exclusivo dos Jogos Olímpicos Rio 2016, na categoria "Serviços de Telecomunicações".

2012: Lançamento do Satélite Star One C3, com investimentos de US$ 260 milhões na cobertura, que abrange todo o território brasileiro, América do Sul, Região Andina e Flórida (EUA). Sua capacidade inclui até a região do Pré-Sal, disponibilizando, com isso, mais serviços para a indústria de petróleo.

2013: Com 17.500 quilômetros, o novo cabo submarino sai da América do Norte, atravessa a América Central e chega ao Brasil em três pontos - Fortaleza, Salvador e Rio de Janeiro. O cabo submarino de fibra ótica dobra a capacidade de transmissão de dados e voz, e aumenta a confiabilidade dos sistemas de conexão.

Em 2013 a Embratel também anuncia sua loja virtual para ofertas de soluções de Cloud Computing. Voltada para o mercado empresarial, o ambiente foi desenvolvido para permitir que micro, pequenas e médias empresas tenham acesso a recursos tecnológicos utilizados por grandes companhias.

2014: Incorpora em seu portfólio a mobilidade, levando para seus clientes corporativos soluções convergentes de TI e Telecom com mobilidade.

2015: Em julho, coloca em órbita o Satélite C4, que ocupará a posição orbital de 70 W, a mais importante para o mercado de Broadcasters no Brasil. Essa posição é considerada hot position por transmitir os sinais das maiores emissoras de TV do país, e ainda possuir um parque de 22 a 25 milhões de antenas parabólicas apontadas.

2016: Torna-se fornecedora e patrocinadora oficial de Telecomunicações dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

2017: Torna-se líder em carros conectados no Brasil, trabalhando em projetos em conjunto com as maiores montadoras.

2018: A mais recente campanha da Embratel traz como mote o “Sua empresa no próximo nível”, o que enfatiza o novo posicionamento de mercado da operadora, para fornecer soluções digitais às empresas e continuar sempre em busca de um próximo nível.


2 comentários:

  1. Não sei porque usam o nome ainda Embratel, sendo que a marca não mais vendida em serviços, principalmente antenas, que vem com o nome Claro TV, quando era Embratel era conhecida por ter um preço mais em conta, comparando a Sky e a Telefônica, que depois mudou o nome pra Vivo TV por satélite, atualmente não tem mais relevância.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato o nome Embratel para o "varejo" já não é tão relevante, como a 20 anos atrás! Quando trabalhava na antiga Telegoias (hoje, Oi), era referência em longa distância, cabos submarinos e fibra. Hoje a marca ainda é forte no seguimento B2B, por isso a Claro ainda não extinguiu de vez! Preferiram deixar cada qual no seu seguimento: Claro (celular e HDTV), NET (Tv a cabo e internet fixa) e Embratel (infraestrutura de telefonia para empresas). Mas está tudo sob o "guarda chuvas" da Claro Brasil.

      Excluir